Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Doenças
  3. Câncer
  4. Radioterapia

Radioterapia

A radioterapia é um método de tratamento de câncer que usa a radiação para destruir células tumorais. Esse procedimento pode ser realizado isoladamente ou combinado com outro.

A radioterapia é um tipo de tratamento contra o câncer que utiliza como método a radiação ionizante, que afeta o DNA das células. A radiação atua, principalmente, no controle do crescimento desordenado das células, levando o paciente à cura. Quando não é possível eliminar o tumor, funciona como uma forma de melhorar a qualidade de vida do paciente.

A radioterapia pode ser utilizada de maneira isolada ou ainda combinada com outros tratamentos, como a quimioterapia.

Como funciona a radioterapia?

A radioterapia é um tratamento que utiliza a radiação ionizante, que danifica o DNA das células, destruindo o tumor ou impedindo a multiplicação das células cancerígenas. Em células normais, pode ocorrer a recuperação do DNA; em células tumorais, no entanto, essa capacidade de recuperação é reduzida. Normalmente, ao final do tratamento, as células normais recuperam-se.


A radiação afeta o DNA das células.

Leia também: Efeitos da radiação no corpo humano

Benefícios da radioterapia

A radioterapia apresenta muitos benefícios ao paciente com câncer. Entre eles, podemos citar:

  • Geralmente, não necessita de nenhuma internação;

  • As sessões de radioterapia são relativamente curtas;

  • Costuma apresentar muitos resultados positivos;

  • Pode contribuir para a qualidade de vida daqueles pacientes em que a eliminação do câncer não é mais possível. Nesse caso, observa-se a redução do tumor, levando à diminuição de dores, hemorragias e outros sintomas desagradáveis.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Como é feita a radioterapia?

A radioterapia é um método de tratamento de câncer cuja quantidade de aplicações necessárias deve ser estabelecida por um médico. O profissional irá analisar o paciente e delimitar a área em que se deve aplicar o tratamento. Diferentemente da quimioterapia, em que o medicamento entra na corrente sanguínea, a radiação é aplicada em uma área específica.

A radioterapia pode ser feita de duas formas:

  • Radioterapia externa ou teleterapia: A radiação é emitida por um aparelho, que é colocado a uma distância do paciente. Esse equipamento é ajustado de modo que a radiação seja emitida diretamente no local que será tratado. O paciente, nesse caso, permanece deitado durante todo o processo. Caso a região a ser tratada seja a cabeça ou o pescoço, o paciente deverá utilizar uma máscara que o manterá imóvel, garantindo que a radiação atinja o local adequado.

  • Braquiterapia: Esse procedimento diferencia-se da radioterapia externa, pois são colocados aplicadores em contato com o local que será tratado, e a radiação é emitida diretamente nesses aplicadores. Nesse caso, poderá ser necessário sedar o paciente.


A radioterapia utiliza radiação ionizante para destruir o tumor e controlar o crescimento de células cancerígenas.

Efeitos da radioterapia

A radioterapia apresenta também alguns efeitos indesejáveis, os quais dependerão ou serão intensificados de acordo com a área a ser tratada e com a quantidade de doses de tratamento. De acordo com o Inca (Instituto Nacional de Câncer), os principais efeitos da radioterapia são:

  • Redução do apetite e maior dificuldade para ingerir alimentos: O paladar pode alterar-se durante o tratamento, sendo uma das alterações observadas o espessamento da saliva, que pode modificar o sabor dos alimentos. Além de ter uma alimentação saudável, é recomendado que o paciente tenha um cardápio variado, o que poderá auxiliar no aumento do apetite.

  • Cansaço: O paciente em tratamento radioterápico deve tirar momentos para seu descanso. Em alguns casos, é recomendado até mesmo o afastamento das atividades normais, como o trabalho.

  • Alterações na pele: Várias modificações na pele podem ocorrer durante o tratamento, como vermelhidão, irritação, pele seca e escamosa. Beber muita água, utilizar hidratante, não se depilar com lâminas ou ceras depilatórias e evitar banhos quentes são medidas que podem reduzir os efeitos da radiação na pele. Caso surjam bolhas e secreções, o médico deverá ser avisado.

  • Alterações no ritmo intestinal: Pode surgir diarreia ou prisão de ventre no paciente .

Vale destacar que outras alterações podem acontecer, como náuseas e queda de cabelo. Quando o tratamento de radioterapia é feito em conjunto com o de quimioterapia, os efeitos colaterais tendem a ser mais agressivos. Entretanto, é importante lembrar que os tratamentos são individualizados, e cada corpo reage de uma maneira. Desse modo, nem sempre o efeito colateral que surge em uma pessoa irá aparecer ou terá a mesma intensidade que em outra.

Todos os sintomas observados durante o tratamento devem ser comunicados ao médico. A maioria dos efeitos colaterais pode ser controlada, portanto, a comunicação com esse profissional é essencial para o sucesso do tratamento e para que ele ocorra da maneira mais confortável para o paciente.

Leia também: Fosfoetanolamina sintética e a polêmica cura do câncer

Diferenças entre radioterapia e quimioterapia


A radioterapia, assim como as cirurgias e a quimioterapia, é um tratamento que pode levar à cura do câncer.

Tanto a quimioterapia como a radioterapia são tratamentos utilizados em pacientes com câncer. Na quimioterapia, utiliza-se medicamento, o qual irá espalhar-se por todo o corpo via corrente sanguínea. Na radioterapia, realiza-se um tratamento localizado, no qual é utilizada radiação para destruir as células anormais.

Após a radioterapia, o paciente emite radiação?

Diferentemente do que muitos pensam, após a radioterapia, o paciente não fica emitindo radiação. Desse modo, não há riscos de contato com outras pessoas.

A radioterapia é uma das formas de tratamento contra o câncer.
A radioterapia é uma das formas de tratamento contra o câncer.
Publicado por: Vanessa Sardinha dos Santos

Assuntos Relacionados