Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Doenças
  3. Doenças virais
  4. Síndrome Respiratória do Oriente Médio – Mers

Síndrome Respiratória do Oriente Médio – Mers

A Síndrome Respiratória do Oriente Médio (Mers) é uma doença respiratória grave que provoca febre, tosse e dificuldade respiratória.

A Mers (Middle East Respiratory Syndrome - Síndrome Respiratória do Oriente Médio) é uma doença respiratória provocada por um vírus do tipo coronavírus que foi identificada inicialmente na Arábia Saudita em 2012. A grande maioria dos casos da doença ocorreu na Arábia Saudita; entretanto, até junho de 2015, cerca de 25 países já tinham registros dela em seu território.

  • Transmissão da Mers

A transmissão da Mers acontece pelo contato próximo com pessoas infectadas. Assim como ocorre com um resfriado ou uma gripe, pesquisadores acreditam que o vírus espalhe-se com as secreções que são eliminadas no momento da tosse.

Existe ainda uma teoria de que a transmissão possa ocorrer mediante o contato de humanos com animais. Acredita-se que os camelos são os principais animais responsáveis pela transmissão, pois neles foi encontrado o mesmo tipo de vírus que infecta o homem. Vale destacar, no entanto, que mais estudos devem ser realizados para descobrir a verdadeira relação entre esses animais e a transmissão da Mers.

  • Sintomas da Mers

O período de incubação do coronavirus é de, em média, 5 a 6 dias. Entretanto, existem pessoas que desenvolvem os sintomas de 2 a 14 dias após o contágio. Os principais sintomas dessa síndrome são febre, tosse, dificuldade respiratória, diarreia, náusea e vômito. Em casos graves da Mers, o paciente torna-se tão debilitado que necessita de aparelhos para respirar, além de desenvolver quadros de pneumonia e insuficiência renal. Segundo a Organização Mundial da Saúde, cerca de 36% dos pacientes acabam morrendo em decorrência da doença.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
  • Diagnóstico, tratamento e prevenção da Mers

O diagnóstico da Mers é realizado pela análise dos sintomas e confirmação após exame laboratorial de secreção da nasofaringe, do sistema respiratório superior e do sangue. Em virtude do risco de epidemias, os exames de possíveis acometidos devem ser realizados em Laboratórios com Nível de Biossegurança 3.

A Mers não possui tratamento específico. Durante a recuperação, o paciente recebe apenas medicamentos que aliviam os sintomas. Assim como não há tratamento, não existem vacinas para prevenir a doença.

A prevenção da doença é similar à de outros problemas respiratórios. Logo, deve-se lavar as mãos com frequência e sempre cobrir a boca e o nariz ao espirrar e tossir. Também é importante evitar o contato com pessoas contaminadas e tratar o doente.

É importante salientar que pessoas com doenças tais como diabetes, cânceres e problemas pulmonares, cardíacos e renais merecem maior cuidado, pois apresentam maiores chances de serem infectados e de desenvolverem formas graves da doença.

Curiosidade: Apesar de ser bastante parecida com a Sars (Síndrome Respiratória Aguda Grave), a Mers é provocada por outro tipo de coronavírus.

Acredita-se que a Mers possa ser transmitida também por animais, como o camelo
Acredita-se que a Mers possa ser transmitida também por animais, como o camelo
Publicado por: Vanessa Sardinha dos Santos

Assuntos Relacionados