Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Física
  3. Termologia
  4. A evolução dos termômetros e das escalas

A evolução dos termômetros e das escalas

No cotidiano, a medida e o controle da temperatura são muito importantes. Seja nas indústrias, em laboratórios e até mesmo nas residências, os termômetros são utilizados para controlar e verificar a temperatura de uma vasta quantidade de objetos, em diferentes momentos e circunstâncias.

Desde o século XVI, tanto as escalas termométricas como também os termômetros têm evoluído constantemente. O primeiro termômetro foi criado por Galileu Galilei em 1592. Galileu, considerado o pai da experimentação, foi físico, matemático, astrônomo e filósofo italiano que teve papel muito importante na evolução das ciências. O aparelho construído por ele era feito de um fino tubo de vidro, que tinha uma de suas extremidades colocada em recipiente contendo água colorida e na outra um bulbo, também de vidro. Utilizado pelos médicos da época para medir a temperatura das pessoas, esse aparelho não pôde ser considerado um termômetro, pois não tinha escalas para averiguar a temperatura, de modo que ele permitia apenas a comparação entre as temperaturas de dois corpos ou objetos. Diante disso ele foi conhecido como “termoscópio de Galileu”.

Surgimento dos termômetros de líquido

O termoscópio de Galileu realizava as comparações de temperaturas através da dilatação ou contração do ar que existia dentro do bulbo do aparelho. No século XVII surgiu o primeiro termômetro de líquido, construído por Jean Rey, um médico francês. Muito semelhante aos termômetros atuais, o aparelho de medição de temperaturas construído por Jean media a variação da temperatura através da contração ou dilatação da água contida no reservatório.

Anos mais tarde, Fernando II, Duque de Toscana, por apreciar muito as ciências, quis medir temperaturas abaixo do ponto de solidificação da água. Assim sendo, ele construiu um termômetro muito semelhante ao de Ray, utilizando álcool no lugar de água, pois o seu ponto de congelamento, se comparado com o da água, é muito baixo. Contudo, o álcool é um líquido volátil, ou seja, se evapora muito rápido. Sabendo disso, Fernando II fechou hermeticamente o tubo para evitar a evaporação do álcool. Dessa maneira, o Duque de Toscana acabou por criar um termômetro que realmente se parece com o que utilizamos na atualidade.

Fernando II teve enorme contribuição no desenvolvimento do estudo da termometria, de modo que ele foi o fundador de uma academia em Florença, Itália, que era especializada na construção de termômetros. Foi nessa academia que se utilizou, pela primeira vez, o mercúrio como líquido termométrico.

A Escala Celsius

Para utilizar os primeiros termômetros construídos, os especialistas procuraram estabelecer escalas que possibilitassem a leitura das medidas das temperaturas. Feitas de maneira totalmente arbitrária, surgiram várias escalas, cada uma diferente da outra. Cada país adotava uma, de modo que existiam cientistas que utilizavam vários tipos de escalas. Entre todas as escalas, as que tiveram maior aceitação foram as de Celsius, Fahrenheit e Réaumur.

A escala centígrada, como hoje é conhecida, foi proposta pela primeira vez pelo físico sueco Anders Celsius. Em sua escala, o zero indicava o ponto de solidificação da água, enquanto 100° indicava o ponto de ebulição da mesma. No século XX a escala centígrada passou a ser chamada de escala Celsius, em homenagem a seu idealizador. Essa escala foi escolhida pelos congressos internacionais como sendo a escala padrão a ser usada em qualquer atividade e em qualquer país do mundo.

A Escala Fahrenheit

Em países de língua inglesa a escala Fahrenheit é amplamente utilizada pela população, bem como em trabalhos científicos. Criada por Daniel Gabriel Fahrenheit por volta dos anos de 1714, essa escala tem marcado como ponto de fusão da água 32°F e ponto de ebulição 212°F.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
Publicado por: Marco Aurélio da Silva Santos
Termômetro
Termômetro

Assuntos Relacionados