Capacitores

Capacitores são dispositivos eletrônicos usados para o armazenamento de cargas elétricas, sendo os capacitores de placas paralelas o tipo mais simples. Nesse tipo capacitor, utilizam-se materiais dielétricos, ligados a diferentes potenciais elétricos, capazes de aumentar a quantidade de cargas armazenadas entre as armaduras do capacitor.

Veja também: Grafeno – o material do futuro

O que são capacitores?

Capacitores, também conhecidos como acumuladores, têm como principal função o acúmulo de cargas elétricas. Eles podem ser encontrados em quase todos os circuitos elétricos e são dispositivos bastante simples, que consistem de um meio dielétrico que separa duas placas condutoras conectadas a potenciais elétricos distintos.

Mesmo em diferentes formatos, os capacitores sempre têm placas e um “recheio” dielétrico.
Mesmo em diferentes formatos, os capacitores sempre têm placas e um “recheio” dielétrico.

Capacitância

A capacitância é uma grandeza física escalar que mede a quantidade de cargas que pode ser armazenada em um capacitor para uma determinada diferença de potencial elétrico. Quanto mais cargas um capacitor puder armazenar, maior será a sua capacitância.

A unidade de medida de capacitância é o farad (F), ou, coulomb por volt (C/V), nas unidades do Sistema Internacional de Unidades (SI).

C – capacitância (F)

Q – carga elétrica (C)

U – potencial elétrico (V)

A capacitância também é determinada pelo formato do capacitor, uma vez que fatores como a área das placas do capacitor e a distância entre elas determinam a intensidade dessa grandeza. Observe como é a fórmula usada para calcular a capacitância de um capacitor de placas paralelas no vácuo:

ε0 – permissividade elétrica do vácuo (8,85.10-12 F/m)

A – área das placas paralelas

d – distância entre as placas

No caso mostrado, não há qualquer meio inserido entre as placas do capacitor. Caso algum material dielétrico seja inserido entre essas placas, a capacitância desse dispositivo mudará, já que cada meio apresenta uma característica dielétrica própria, conhecida como rigidez dielétrica.

Veja também: Riscos existentes ao carregar a bateria do seu celular

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Rigidez dielétrica

A rigidez dielétrica é uma propriedade dos materiais que mede o limite de tensão a que determinado meio dielétrico precisa ser submetido para que se torne um meio condutor. Na tabela a seguir, mostramos os valores de rigidez dielétrica para alguns meios materiais conhecidos.

Material

Rigidez dielétrica (V/m)

Ar

3.106

Papel

16.106

Teflon

60.106

Borracha

12.106

Porcelana

12.106

Madeira

~10.106

Óleo (transformador)

20 – 30.106

Campo elétrico

É possível calcular o campo elétrico entre as placas do capacitor, para tanto, basta que conheçamos a distância entre as placas e a diferença de potencial entre elas. Observe:

E – campo elétrico (V/m ou N/C)

Polarização de cargas

Quando um grande campo elétrico é estabelecido através dos materiais dielétricos, eles polarizam-se, isto é, passam a apresentar uma pequena separação de cargas em suas moléculas. As cargas de sinal negativo deslocam-se em sentido à placa positiva do capacitor e isso dá origem a um campo elétrico de polarização no interior do dielétrico, contrário ao campo elétrico externo.

Quando sujeitos a um intenso campo elétrico, os meios dielétricos ficam polarizados.
Quando sujeitos a um intenso campo elétrico, os meios dielétricos ficam polarizados.

O funcionamento dá-se, basicamente, da seguinte forma: quanto maior for a rigidez dielétrica entre as placas, maior é a quantidade de cargas elétricas que podem ser polarizadas, com isso, mais cargas podem ser armazenadas entre as armaduras do capacitor.  

Publicado por: Rafael Helerbrock
Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto

Assuntos Relacionados