Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Física
  3. Física Moderna
  4. Constante de Planck

Constante de Planck

O físico alemão Max Karl Ernst Ludwig Planck (1858-1947) começou a estudar a radiação do corpo negro em 1897, buscando resoluções teóricas de uma equação proposta por Wilheim Wien, também físico alemão.
Logo foram detectadas na fórmula de Wien grandes divergências com os resultados experimentais para baixas frequências. Planck então procurou saber quais eram esses resultados e buscou uma expressão que se ajustasse.

O espectro da radiação do corpo negro foi o mais importante desses estudos, pois a radiação emitida pelo corpo negro é dispersada por um prisma de material não absorvente e dirigida a um detector que mede a intensidade de cada frequência da radiação. Tal montagem experimental permite a obtenção de gráficos da potência da radiação emitida pelo corpo negro que atinge o detector por área e frequência (W/m².Hz), para cada temperatura em função da frequência.


Gráficos da intensidade da radiação emitida por um corpo negro em função da frequência de diferentes temperaturas

Apesar de esses gráficos terem características bem definidas, a física clássica não conseguia explicá-los, não sendo possível obter uma equação matemática partindo dos princípios da física clássica, conhecidos na época.
Então Planck, “num ato de desespero”, resolveu inverter o processo teórico, partiu dos gráficos para chegar à equação. Não satisfeito, passou a buscar uma justificativa teórica que a fundamentasse. Encontrou entre os conceitos de entropia e probabilidade da termodinâmica uma função onde todos os termos tinham um significado físico. Nasceu, então, a constante de Planck.

h = 6,63 .10 -34 J.s

h = constante de Planck

A energia (ação) só existe na natureza em valores discretos em quanta de ação, ou seja, esse processo dá à natureza um caráter descontínuo, inaceitável para a física clássica.

Resumo: Planck descobriu que a ação, grandeza que a natureza utiliza sempre na menor quantidade possível, não pode ser infinitamente pequena, porque ela tem um valor limite; embora ele seja muito pequeno, esse valor é imposto pela própria natureza, h = 6,63 .10-34 J.s
 

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)


Max Planck

Por Talita A. Anjos
Graduada em Física
Equipe Mundo Educação

Publicado por: Talita Alves dos Anjos

Assuntos Relacionados