Você está aqui Mundo Educação Física Ondulatória Curiosidades sobre ondas eletromagnéticas

Curiosidades sobre ondas eletromagnéticas

As ondas eletromagnéticas são distribuídas ao longo de uma grande faixa de frequências crescentes chamada de espectro eletromagnético.

Curiosidades sobre ondas eletromagnéticas
As ondas de infravermelho podem ser observadas em câmeras de calor, como a mostrada na figura acima.

Ondas eletromagnéticas são oscilações de campos elétricos e magnéticos que se propagam no vácuo na velocidade da luz. Por se tratarem de fenômenos de natureza ondulatória, as ondas eletromagnéticas podem sofrer reflexão, refração, interferência, polarização e difração.


O que são ondas eletromagnéticas?

As ondas eletromagnéticas surgem quando um campo elétrico sofre alguma oscilação periódica em sua intensidade, produzindo, assim, um campo magnético perpendicular a esse campo elétrico. A propagação da onda eletromagnética ocorre na direção perpendicular ao plano formado pelo campo magnético e pelo campo elétrico. Além disso, todas as ondas eletromagnéticas são capazes de viajar no vácuo na velocidade da luz, cerca de 300 mil quilômetros por segundo. Apesar de serem tratadas como ondas, o conhecimento atual da Física também permite dizer que o campo eletromagnético é formado por inúmeras partículas sem massa, chamadas de fótons.

Veja também: Efeito fotoelétrico

As ondas eletromagnéticas são distribuídas em ordem crescente de energia ao longo de uma grande gama de frequências chamada de espectro eletromagnético. Neste artigo, apresentamos algumas curiosidades interessantes sobre os diferentes tipos de ondas presentes em todo o espectro eletromagnético. Confira:


Curiosidade 1 – Ondas de rádio

As ondas de rádio são as ondas de menor energia de todo o espectro eletromagnético. Também são aquelas de menor frequência e com os maiores comprimentos de onda, cujas dimensões podem variar de alguns metros até dezenas de quilômetros. As ondas de rádio são invisíveis aos nossos olhos. Essas ondas podem ser produzidas por correntes elétricas oscilantes formadas em condutores, como em antenas de televisão, celular e rádio.

Esse tipo de onda eletromagnética é largamente utilizado na transmissão de informações, como em sistemas de televisão, rádio, Wi-fi, Bluetooth, etc.


Curiosidade 2 – Infravermelho

Assim como as ondas de rádio, as ondas de infravermelho não são visíveis a olho nu. São ondas que carregam menos energia que a luz visível. As ondas de infravermelho são emitidas continuamente por todos os corpos que se encontram em temperatura ambiente (cerca de 300 K). Essa emissão ocorre em decorrência do fenômeno físico de emissão de corpo negro, isto é, a transferência de calor em forma de ondas eletromagnéticas relacionada à temperatura do corpo.

Dessa forma, é possível enxergar seres vivos em regiões de escuridão total. É dessa forma que funcionam os aparelhos de visão noturna. A captação de infravermelho também permite que vejamos milhares de estrelas no céu noturno, que não seriam vistas a olho nu.

Dispositivos como os controles remotos fazem uso de ondas de infravermelho para controlar aparelhos eletrônicos. É justamente por isso que eles não funcionam bem quando colocados embaixo de uma coberta grossa: as cobertas são feitas para refletirem o calor, em forma de ondas de infravermelho, de volta ao nosso corpo, mantendo-nos aquecidos durante uma noite fria.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Veja também: Fluorescência e fosforescência.


Curiosidade 3 – Luz visível

A luz visível representa uma pequena porção do espectro eletromagnético, mais precisamente entre os comprimentos de onda de 750 nanômetros (nm) e 400 nm, e varia entre as colorações azul e violeta. Ondas eletromagnéticas de comprimento de onda imediatamente maior que o vermelho são chamadas de infravermelhas, enquanto ondas eletromagnéticas de comprimento de onda imediatamente menor que o comprimento de onda da luz de cor violeta são chamadas de ultravioletas.

A percepção das cores pode variar de acordo com o indivíduo, uma vez que a captação da luz é feita nos olhos por um conjunto de células chamadas de cones. Os cones transmitem a informação para o cérebro, que é traduzida na percepção que temos a cada comprimento de onda.


Curiosidade 4 – Ultravioleta

A luz ultravioleta é largamente produzida pelo Sol. É uma radiação não visível e ionizante, já que esse tipo de onda eletromagnética é capaz de produzir alterações nas cadeias de DNA, podendo causar danos celulares irreversíveis.

Alguns insetos, como as abelhas, são capazes de enxergar os raios ultravioletas. Isso ocorre porque as flores refletem uma parte dos raios provenientes do Sol, tornando sua localização mais fácil. Além disso, sabe-se que algumas aranhas conhecem esse mecanismo e produzem teias capazes de refletir a luz ultravioleta, enganando os insetos.

Veja também: Como funciona a luz negra


Curiosidade 5 – Raios X

Os raios X são largamente utilizados na medicina para diagnósticos de imagem. O raio X é uma onda eletromagnética de alta energia capaz de ser transmitida com poucas perdas através de tecidos moles, como pele e músculo. Esse raio, no entanto, é absorvido pelo vasto conteúdo mineral dos ossos. Os raios X também são usados no tratamento radioterápico, voltado para o combate de células tumorais, e em exames mais complexos, como a tomografia.

Por serem altamente energéticos, os raios X são capazes de produzir alterações nas cadeias de DNA das células, fazendo com que elas sofram mutações genéticas que podem induzir o surgimento de câncer. É por isso que a exposição a esse tipo de radiação deve ser limitada.


Curiosidade 6 – Raios gama

Os raios gama são emitidos, principalmente, por radioisótopos que sofrem decaimentos nucleares. Nessas reações de grande energia, os núcleos atômicos desintegram-se, produzindo outros núcleos menores e mais estáveis e emitindo ondas eletromagnéticas extremamente energéticas e com alto poder de penetração: os raios gama.

Além disso, diferentemente de outros tipos de ondas eletromagnéticas, os raios gama dificilmente são refletidos, já que seu comprimento de onda permite que eles sejam transmitidos através do espaço existente entre os átomos.

Assuntos Relacionados