Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Física
  3. Astrofísica
  4. Fatos curiosos sobre o Universo

Fatos curiosos sobre o Universo

“Nosso Universo é fascinante e guarda consigo uma grande quantidade de curiosidades e conhecimentos a serem descobertos.”

O Universo é vasto e deve existir a pelo menos 13 bilhões de anos. Apesar de conter um número gigantesco de galáxias, estrelas e planetas, o Universo é mais vazio do que imaginamos: a distância que separa os corpos celestes é geralmente muito grande. Confira, no decorrer deste texto, algumas curiosidades sobre o nosso cosmo.

Veja também: História da Astronomia

1 - O Sol que vemos é do passado

A luz que chega aos nossos olhos quando olhamos para o Sol é de 499 segundos atrás.
A luz que chega aos nossos olhos quando olhamos para o Sol é de 499 segundos atrás.

A luz do Sol leva pouco mais de oito minutos para chegar até nós. Isso acontece porque a velocidade da luz é finita (aproximadamente 300 mil quilômetros por segundo) e a distância entre a Terra e o Sol é de cerca de 150 milhões de quilômetros. Por isso, quando observamos essa estrela, a imagem que vemos é do passado! Se ela desaparecesse por algum motivo inesperado, só saberíamos oito minutos e 18 segundos depois.

Para efeito de comparação, a Lua está distante, em média, 1 282 segundos-luz da Terra. Isso indica que a luz que ela reflete demora esse tempo para chegar até aqui, enquanto a luz do Sol demora mais de cinco horas e meia para chegar até Plutão.

Veja também: Qual é a cor do Sol?

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

2 - Estamos a mais de 100 000 km/h

Você sabia que a Terra orbita o Sol deslocando-se com velocidades próximas a 107.000 km/h? Essa velocidade é variável, uma vez que a órbita terrestre não é perfeitamente esférica mas sim elíptica.

É por esse motivo que a velocidade da Terra muda: quando estamos mais perto do Sol, sua gravidade torna-se mais intensa, atraindo a Terra com uma força maior. A posição em que a Terra encontra-se mais próxima ao Sol é chamada periélio, enquanto a posição mais distante é chamada afélio.

Como se não fosse o suficiente, além de girar em torno do Sol com tamanha velocidade, a Terra ainda gira em torno do seu próprio eixo, com velocidade que pode chegar a mais de 1500 km/h. Isso de acordo com a sua posição em relação à linha do Equador: quanto mais próximo dela, maior é a velocidade de rotação.

O motivo pelo qual não sentimos nenhum desses movimentos de rotação está relacionado com a aceleração centrípeta. A aceleração centrípeta permite sentirmos que estamos em rotação, porém, no caso da Terra, como os raios dos movimentos de rotação e translação são muito grandes, a aceleração centrípeta produzida por eles é muito pequena se comparada à aceleração da gravidade.

Veja também: Curiosidades sobre a Astronomia

3 - Grandes bolas de gás

Apenas quatro planetas do Sistema Solar são telúricos, isto é, tem solo rochoso. Os planetas rochosos do Sistema Solar são Mercúrio, Vênus, Terra e Marte. Os demais planetas do sistema são formados exclusivamente por um grande amontoado de gases presos por uma grande interação gravitacional.

Júpiter contém o dobro da massa de todos os outros planetas do Sistema Solar.
Júpiter contém o dobro da massa de todos os outros planetas do Sistema Solar.

Júpiter, Saturno, Urano e Netuno são os maiores planetas do Sistema Solar e também os que apresentam as maiores massas, mesmo sendo formados exclusivamente por gases. Apesar de serem gigantes e pesados, esses planetas são bem menos densos que os planetas telúricos.

Júpiter, por exemplo, é o planeta mais massivo de todo o Sistema Solar. Sua massa é menor do que um milésimo do Sol. No entanto, é também 2,5 vezes maior que a massa de todos os planetas do Sistema Solar juntos, o equivalente a 317 vezes a massa da Terra.

Veja também: A lei de Hubble e a expansão do Universo

4 - O ano galático

O ano galático é o tempo necessário para que o Sol complete uma volta em torno do centro da nossa galáxia, um tempo de, aproximadamente, 250 milhões de anos. A Via Láctea é uma galáxia espiral, e o Sistema Solar encontra-se em um dos seus braços.

O Sistema Solar orbita o centro de nossa galáxia, pois está preso à atração gravitacional exercida pelo Sol. Estima-se que todo o Sistema Solar realize esse movimento orbital a uma velocidade de, aproximadamente, 828 mil quilômetros por hora. No entanto, essa velocidade é muito pequena perante a nossa galáxia, que tem mais de 100 mil anos-luz de diâmetro.

Veja também: Saiba o que é a teoria do big-bang

5 - Buracos negros

Ao contrário do que muitos pensam, os buracos negros não foram descobertos por Albert Einstein, mas foram propostos por Karl Schwarzschild. A existência dessas estruturas foi prevista por Schwarzschild como possíveis soluções para as equações da relatividade geral de Einstein.

Acreditava-se até recentemente que não seria possível obter uma imagem direta de um buraco negro, no entanto o projeto Event Horizon Telescope mostrou-nos o contrário ao publicar a primeira fotografia real de um buraco negro.

Os buracos negros são formados nos estágios finais de vida de estrelas muito massivas, que contenham pelo menos 6 vezes a massa do Sol. Quando o combustível dessas estrelas acaba, sua gravidade vence e elas sofrem um intenso colapso gravitacional, reduzindo drasticamente o seu tamanho.

Publicado por: Rafael Helerbrock
A Via Láctea é uma galáxia de formato espiral, seu diâmetro é da ordem de 100 mil anos-luz.
A Via Láctea é uma galáxia de formato espiral, seu diâmetro é da ordem de 100 mil anos-luz.

Assuntos Relacionados