Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Física
  3. Óptica
  4. Lentes de aumento e microscópios

Lentes de aumento e microscópios

Em algum momento de nossas vidas como estudantes, fomos levados ao laboratório de ciências. Nesse laboratório encontramos diversos objetos, dentre eles um objeto cujo nome é microscópio, outro com nome de lupa, etc. Este último também é chamado de lente de aumento.

Os microscópios e as lentes de aumento, utilizados em diversas áreas de pesquisa, têm como finalidade permitir que vejamos objetos que não vemos a olho nu. Esses equipamentos nos permitem ver uma imagem maior do que a imagem que veríamos se tivéssemos olhando diretamente para o objeto real. Dizemos que o grau de resolução do microscópio nada mais é do que a menor distância na qual ele consegue distinguir dois objetos.

Óculos de aumento surgiram na Itália por volta de 1200 e posteriormente se espalharam por toda a Europa. Historicamente, os primeiros instrumentos ópticos construídos foram as lentes de aumento, sendo que logo depois, por volta do ano 1200, é que surgiram os óculos de aumento. Após essa data, eles alcançaram toda a Europa. Já os primeiros microscópios foram feitos no século XV e usavam uma única lente.

Conforme as lentes de vidro foram sendo aperfeiçoadas, os microscópios também ganharam poder de ampliação, embora não tão significativo. O poder de ampliação só foi melhorado graças à invenção do microscópio composto.

Esse tipo de equipamento é formado por duas lentes, ou dois sistemas de lentes. As lentes do microscópio composto são chamadas de lente objetiva e lente ocular. A lente objetiva é uma lente que fica instalada bem próxima ao objeto que se observa. Já a lente ocular fica bem próxima do olho do observador.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

As características dessas lentes são as seguintes: a lente objetiva forma uma imagem real do objeto; e a ocular faz a ampliação da imagem real, formando uma imagem virtual e maior, sendo que ela também atua como lente de aumento, permitindo observar a imagem com mais detalhes. A imagem final formada é invertida e maior.

O grau de ampliação de um microscópio composto é na verdade o produto de ampliação de cada uma das lentes. Por exemplo, se tivermos um microscópio com uma lente ocular que aumente 10 vezes, e uma lente objetiva que aumente 40 vezes, o produto final de magnificação é de 400 vezes.

O microscópio composto pode ter lentes intercambiáveis, ou seja, lentes que podem ser trocadas de acordo com as necessidades da situação, sendo possível escolher diversas ampliações utilizando o mesmo instrumento. Por exemplo, se um microscópio possui duas lentes objetivas (uma com aumento de 10 e outro com aumento de 100 vezes) e duas lentes oculares (uma com aumento de 3 e outra com aumento de 10), a ampliação final do microscópio poderá chegar a 1000 vezes.

Para funcionar adequadamente, os microscópios ainda contam com um sistema para iluminar o objeto que esteja sendo observado. Os microscópios ópticos modernos também usam duas lentes oculares, para permitir visão tridimensional.

Microscópio composto
Microscópio composto
Publicado por: Domiciano Correa Marques da Silva

Assuntos Relacionados