Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Física
  3. Astrofísica
  4. Missão Kepler

Missão Kepler

“A Missão Kepler tem por objetivo encontrar planetas que possuam as características necessárias para abrigar vida.”

A Missão Kepler teve início oficial em maio de 2014 e é uma missão de exploração do universo feita pela Nasa (Agência Espacial Norte-americana), que lançou a sonda Kepler para o espaço com a finalidade de observar planetas que orbitam estrelas muito brilhantes. A sonda deverá “seguir o rastro” da órbita da Terra ao redor do Sol para que nosso planeta não oculte possíveis corpos a serem observados. A missão tem previsão de quatro anos de duração.

Essa missão é intitulada de Kepler em homenagem ao astrônomo Johannes Kepler, que, no século XVII, deu enormes contribuições à ciência a partir de suas propostas conhecidas como leis de Kepler.

→ Objetivos da Missão Kepler

Segundo a Nasa, a missão possui os seguintes objetivos:

  1. Determinar a abundância de planetas com características semelhantes às da Terra, que sejam maiores ou menores que nosso planeta e que estejam à exata distância de uma estrela, de modo que possam ser considerados habitáveis;

  2. Determinar o tamanho e a forma das órbitas desses planetas;

  3. Estimar quantos planetas existem em sistemas múltiplos de estrelas;

  4. Determinar as características básicas dos planetas, tais como massa, densidade, tamanho, temperatura etc.;

  5. Identificar outros membros presentes nos sistemas solares;

  6. Determinar as características das estrelas que abrigam sistemas planetários.

→ Como os planetas são detectados pela sonda Kepler?

Os planetas são detectados a partir do fenômeno conhecido como trânsito planetário. Esse fenômeno ocorre quando, da perspectiva da Terra, um planeta passa na frente da estrela que orbita, causando uma pequena diminuição de luminosidade que é capaz de sensibilizar o fotômetro (aparelho que mede a intensidade de luz) presente na sonda Kepler.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

→ Características da sonda Kepler

A sonda Kepler foi lançada no espaço por meio do foguete Delta II. Ela abriga um fotômetro de aproximadamente 95 cm de abertura, possui espelhos de reflexão de 85% da luz incidente, um detector de aproximadamente 2200 x 1024 pixel e massa de 1 tonelada.

→ Resultados da missão Kepler

Em 2016, a Nasa divulgou que, a partir das observações feitas pela sonda Kepler, 4.302 possíveis planetas foram identificados. Destes, há 1284 que possuem chances de realmente serem planetas e que estão no foco da missão. Desses 1284, aproximadamente 550 são rochosos como a Terra e nove estão em zonas consideráveis habitáveis, tendo em vista a distância que orbitam seus sóis.

Em 2014, a descoberta do planeta HIP 116454b foi anunciada. Esse planeta possui um diâmetro 2,5 vezes maior que o da Terra, orbita uma estrela menor e mais fria que nosso Sol e leva nove dias para efetuar uma volta completa. A distância até a Terra é de 180 anos-luz.

Em 2015, o planeta Kepler-452b foi descoberto. Esse astro possui uma massa cerca de 60% maior que a da Terra, está a 1400 anos-luz do nosso planeta e possui uma posição em relação à sua estrela que favorece a existência de água no estado líquido.

A missão Kepler certamente trará inúmeros benefícios à ciência, proporcionando maior entendimento sobre os infinitos corpos celestes que estão espalhados por todo o universo.

Publicado por: Joab Silas da Silva Júnior
Nessa ilustração, a Terra está ao lado do planeta Kepler 452-b, descoberto em 2015 por meio da sonda Kepler
Nessa ilustração, a Terra está ao lado do planeta Kepler 452-b, descoberto em 2015 por meio da sonda Kepler

Assuntos Relacionados