Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Física
  3. Ondulatória
  4. Persistência da audição

Persistência da audição

A persistência da audição é o tempo mínimo de chegada necessário para a distinção de duas ou mais ondas sonoras pelo nosso sistema auditivo.

O que é persistência auditiva?

Quando dois sons incidem sobre o nosso ouvido com uma diferença de tempo muito pequena, fica impossível distinguir as fontes sonoras que produzem esses sons. O nome desse fenômeno é persistência da audição ou persistência auditiva, e ele está relacionado com o menor intervalo de tempo entre a chegada de duas ondas sonoras ao nosso sistema auditivo.

Como funciona a persistência auditiva?

Imagine que duas caixas de som consigam emitir ondas sonoras distintas, mas que levem exatamente o mesmo tempo para chegar aos seus ouvidos. Nesse caso, você não seria capaz de distinguir o som emitido por cada uma das caixas.

Acontece que, caso o tempo entre duas ondas sonoras incidentes seja menor do que 100 ms (100 milésimos de segundo), ou 0,1 s, nosso sistema auditivo não é capaz de distinguir claramente as fontes de som. A sensação de ouvirmos um som leva certo tempo para ser processada por nosso cérebro, e esse tempo é o tempo da persistência auditiva.

Quais as consequências da persistência auditiva?

Graças a essa característica do sistema auditivo é que conseguimos ouvir os ecos. Ecos nada mais são que sons refletidos que levam um tempo maior que 0,1s para chegar aos nossos ouvidos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

É por meio dessa definição também que podemos calcular a distância mínima entre um obstáculo e uma fonte sonora para que se produza o eco. Considerando a velocidade do som no ar como cerca de 340 m/s e o tempo mínimo da persistência auditiva (0,1s), podemos usar a equação da velocidade média para calcular a distância que o som deve percorrer para que seja possível distinguir o som primário do som refletido:

v = ΔS
      Δt

Dessa forma, temos que:

340 = ΔS
          0,1

Fazendo a multiplicação cruzada dos termos, encontramos:

ΔS = 340x0,1 = 34 m

O resultado indica que uma onda sonora deve propagar-se em uma distância mínima de 34 m para que possamos ouvir o eco de uma fonte sonora, mas como a onda deve ser direcionada até um objeto, ser refletida e então voltar para nossos ouvidos, a menor distância entre uma fonte sonora e um objeto refletor é de aproximadamente 17 m.

Quando o som refletido chega com uma diferença de tempo menor que 0,1s, o ouvido percebe o som secundário como um prolongamento do som original. Esse fenômeno é chamado de reverberação.

A persistência auditiva torna possível ouvirmos ecos
A persistência auditiva torna possível ouvirmos ecos
Publicado por: Rafael Helerbrock

Assuntos Relacionados