Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Física
  3. Termologia
  4. Pressão máxima de vapor

Pressão máxima de vapor

Vamos considerar um recipiente em forma de cilindro contendo um êmbolo que pode mover-se para cima e para baixo sem atrito. Dentro do cilindro colocamos, em equilíbrio, uma porção na fase líquida e uma porção na fase gasosa de uma substância pura. Na figura acima T é a temperatura do sistema.

Na figura acima a pressão F exercida pelo vapor na situação de equilíbrio é denominada pressão máxima de vapor da substância a uma temperatura T. A respeito da pressão F, dizemos que ela é a máxima pressão que o vapor consegue exercer estando a essa temperatura, pois em pressões mais altas só temos a fase líquida. Enquanto o vapor dentro do cilindro só exerce pressões menores que a pressão máxima à temperatura T, isto é, p < p0, ele recebe o nome de vapor seco, porém, quando o vapor exerce pressão máxima, ele é denominado de vapor saturado.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Se o volume ocupado pelo vapor saturado foi diminuído isotermicamente, ou seja, diminuído mantendo-se a temperatura constante, esse vapor se condensará, isto é, parte desse vapor se converte em líquido, mas continua exercendo a mesma pressão F. Agora, se o volume do vapor saturado for aumentado isotermicamente, o líquido sofrerá vaporização, isto é, parte do líquido se converterá em vapor, de modo que o vapor ainda continue exercendo a mesma pressão F.

Enquanto houver líquido e vapor dentro do êmbolo, a pressão exercida é constante

Sendo assim, podemos concluir que a pressão máxima de vapor não depende do volume ocupado pelo vapor saturado. E que para cada substância, a pressão de vapor é função exclusiva da temperatura.

No êmbolo temos um líquido-vapor em equilíbrio; pressão máxima de vapor
No êmbolo temos um líquido-vapor em equilíbrio; pressão máxima de vapor
Publicado por: Domiciano Correa Marques da Silva

Assuntos Relacionados