Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Folclore
  3. Curupira

Curupira

Curupira é personagem de uma das lendas do folclore brasileiro, a qual fala de um ser mítico, que protege da floresta contra caçadores e contra aqueles que derrubam as árvores.

Curupira é um ser mítico do folclore brasileiro conhecido por ser o guardião da floresta e por punir aqueles que entram nela para derrubar árvores ou caçar os animais. O curupira é personagem de uma lenda que se originou na cultura indígena brasileira e acabou espalhando-se por todo o país. Foi uma das primeiras lendas indígenas registradas pelos portugueses.

Acesse também: Halloween: um das datas mais conhecidas do folclore dos EUA

Quem é o curupira

O curupira é um ser da floresta e atua como seu guardião contra todos aqueles que procuram destruí-la. Suas características físicas são bastante conhecidas, a lenda diz que o curupira é pequeno (alguns chamam-no de “anão”), tem os cabelos vermelhos como fogo, e seus pés são posicionados ao contrário, com os calcanhares para frente.

Alguns falam que o curupira tem o corpo, dentes ou olhos verdes, outros, que ele é careca, e alguns acreditam que ele é peludo. Independente da versão, todos acreditam em sua força física sobrenatural, apesar de ser muito pequeno.

O curupira cumpre o papel de guardião das florestas e pune aqueles que vão fazer mal a elas. No entanto, ele só pune aqueles que vão para floresta destruí-la por prazer, assim, os que caçam ou derrubam árvores para garantir sua própria sobrevivência não são punidos por ele.

A lenda do curupira aterrorizava os indígenas, e os relatos realizados por cronistas portugueses de séculos passados demonstram isso. Os indígenas consideravam que cadáveres que fossem encontrados na floresta eram de pessoas que tinham sido alvo do curupira, porque ele poderia matar aqueles que a prejudicavam.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

De toda maneira, para prevenir-se, os indígenas ofertavam presentes a esse protetor, tais como flechas, penas e outros tipos de artifícios produzidos por eles. Dois presentes que o agradavam muito, de acordo com a sua lenda, é a cachaça e o fumo.

Curupira gosta de pregar peças nos caçadores que entram na floresta. Ele pode disfarçar-se de caça e, assim, atrair a atenção do caçador, que inicia uma perseguição à sua suposta presa e, então, perde-se no meio da floresta. Ele também pode atormentar os caçadores com um assovio ensurdecedor. As vítimas do curupira ficam atordoadas pelo som e por não saber de onde e quem está emitindo-o. Reza a lenda que, caso encontre o curupira na floresta, você pode escapar dele fazendo um nó em um pedaço de cipó.

O curupira pode aparecer para alguém na floresta e oferecer a esse um acordo, mas, atenção, aqueles que não o cumprem sofrem pesadas consequências. Curupira é um ser da floresta e, por isso, não gosta de estar na presença de muitos humanos. Localizá-lo no mato é uma tarefa impossível, porque seus pés, ao contrário, confundem aqueles que o procurem.

Acesse também: Conheça a obra de um dos folcloristas mais famosos do Brasil

Qual é a origem do curupira

O curupira é protagonista de uma lenda surgida entre os povos indígenas, mas é impossível precisar quem a criou e quando surgiu. O que sabemos é que essa história é uma das mais antigas do nosso folclore. Para fins de comparação, a lenda do saci surgiu no final do século XVIII, enquanto a lenda do curupira já era conhecida dos portugueses no século XVI.

O primeiro a citá-la foi um padre jesuíta chamado José de Anchieta, quando estava estabelecido em São Vicente, em 1560. Em seu relato, ele falou de um “certo demônio” que os indígenas chamavam de curupira e que castigava com frequência aqueles que entravam no mato, e alguns desses chegavam a ser mortos.

A herança indígena na lenda do curupira começa pelo próprio nome desse ser, já que o termo vem do tupi. A tradução desse nome, porém, é alvo de polêmica, uma vez que diferentes estudiosos chegaram a diferentes conclusões a respeito do seu significado. A teoria mais aceita é a de que o termo significa corpo de menino, em referência ao fato do curupira ter corpo semelhante ao de uma criança.

Outros relatos sobre o curupira foram realizados por portugueses nos séculos XVI, XVII e XVIII, o que reforça o fato de que essa lenda era difundida de Norte a Sul do território brasileiro. Na medida em que essa se espalhou, foi sendo conhecida por outros nomes e ficou associada com outras figuras do nosso folclore. No centro do Brasil, por exemplo, o curupira é conhecido como caipora.

Existem lendas parecidas com a do curupira em outras culturas da América do Sul, e uma delas é a do chudiachaque, presente na cultura inca, e a do máguare, presente no folclore venezuelano. Existem folcloristas que afirmam que a lenda do curupira surgiu nos nauas, povo indígena do Norte do Brasil, e foi espalhando-se, até chegar aos tupis e aos guaranis.

Falando em guaranis, localizados na porção centro-meridional brasileira, bem como em países como a Bolívia e o Paraguai, é de conhecimento dos estudiosos que a lenda do curupira existe nesse último país, só que sendo conhecida com outro nome: curupi. Lá, o curupira ainda é o guardião da floresta, mas acaba ganhando um apelo sexual, que, no Brasil, só foi encontrado em alguns povos indígenas da região Norte.

Acesse também: A lenda do saci-pererê, uma das mais conhecidas do folclore brasileiro

Dia do protetor da floresta

Curupira ficou conhecido por ser o protetor da floresta contra aqueles que faziam mal a ela.
Curupira ficou conhecido por ser o protetor da floresta contra aqueles que faziam mal a ela.

Poucos sabem, mas existe uma data comemorativa associada ao curupira. Essa data é comemorada no dia 17 de julho e é conhecida como Dia da Proteção das Florestas ou Dia do Protetor das Florestas. Como já vimos, o papel de protetor da floresta estava associado ao curupira, e daí vem sua relação com essa data.

O curupira é personagem de uma lenda do folclore brasileiro que surgiu nos povos indígenas e que foi relatada, pela primeira vez, no século XVI.
O curupira é personagem de uma lenda do folclore brasileiro que surgiu nos povos indígenas e que foi relatada, pela primeira vez, no século XVI.
Publicado por: Daniel Neves Silva

Assuntos Relacionados