Biocombustíveis

A mamona é a matéria-prima do biodiesel.
A mamona é a matéria-prima do biodiesel.

Biocombustíveis são fontes de energia renováveis, produzidas a partir de matéria orgânica de origem animal ou vegetal (eucalipto, cana-de-açúcar, mamona, soja, canola, babaçu, estercos e lixos orgânicos).

Os biocombustíveis poluem menos que os combustíveis fósseis, por isso alguns especialistas afirmam que as fontes de energia a partir de matéria orgânica agridem menos e é uma alternativa para amenizar o efeito estufa. Outro ponto favorável é a substituição dos combustíveis fósseis pelos biocombustíveis, devido à escassez do primeiro que pode se esgotar em um médio prazo, além de controlar os altos preços do petróleo.

Conheça as principais fontes de energia que configuram na categoria de biocombustíveis.

• Álcool: a produção desse produto como combustível foi uma criação genuinamente brasileira que teve início em 1975, quando o governo desenvolveu o Proálcool (Programa Nacional do Álcool), essa iniciativa teve como principal objetivo criar uma fonte de energia que pudesse substituir o petróleo em pelo menos uma parte do consumo. O álcool é produzido a partir do processamento da cana-de-açúcar que se transforma em etanol ou álcool etílico, foi inserido um percentual de 22% na gasolina e em carros preparados para esse tipo de combustível.

• Biogás: esse tipo de fonte energética é derivado da decomposição de matéria orgânica como esterco, palhas, bagaço vegetal entre outras. Para o aproveitamento de diversos gases é preciso utilizar o biodigestor que é um equipamento que processa a matéria orgânica. O biogás oferece boas perspectivas para o futuro, pois esse tipo de energia disponibiliza uma elevada viabilidade econômica e técnica. Apesar dos pontos positivos do biogás, ele não é muito atrativo para ser desenvolvido em grande escala e sim para ser executado em lugares isolados, mas que mesmo assim contribui para a diminuição do consumo das energias convencionais.

• Biodiesel: corresponde a um tipo de óleo derivado do processamento da semente da mamona e de outras oleaginosas como o dendê, girassol, babaçu, amendoim e soja, tendo seu uso em duas categorias, pode ser misturado no diesel fóssil ou em natural, no caso da mistura o percentual varia de acordo com os interesses e com a composição do biodiesel. Desse modo, a mistura com percentual de 2% de biodiesel é denominado de B2 e assim até atingir o biodiesel 100%, chamado de B100.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Assuntos Relacionados