Bolívia

Localizada na América do Sul, a Bolívia limita-se com o Brasil (ao norte e leste), Paraguai (a sudeste), Argentina (ao sul), Chile (a sudoeste) e Peru (a oeste), o país não possui saída para o mar. Sua extensão territorial é de 1.098.581 quilômetros quadrados, e o país está localizado a leste do meridiano de Greenwich, portanto, é uma nação do hemisfério ocidental. Com relação à linha do Equador, a Bolívia localiza-se ao sul, pertencendo ao hemisfério sul.


É em seu território que a cordilheira dos Andes atinge a largura máxima (650 quilômetros). É também onde se localizam o árido altiplano andino e as principais cidades, como La Paz, a capital mais alta do mundo (3.636 metros). No norte e no leste, as montanhas dão lugar a planícies cobertas pela floresta Amazônica e, no sudeste, à pantanosa região do Chaco. Na Bolívia, predominam dois tipos climáticos: Equatorial (depressão amazônica) e de montanha (altiplano).

A população do país totaliza 9.862.860 habitantes, sendo que 66,% reside em áreas urbanas e 34%, em áreas rurais. Seu território é pouco povoado, visto que sua densidade demográfica é baixa: 9 habitantes por quilômetro quadrado. O crescimento demográfico é de 2% ao ano. Os grupos étnicos predominante são os quínchuas (30%), aimarás (25%) e os eurameríndios (15%). Quanto à religião, o cristianismo possui o maior número de adeptos – 94% da população boliviana.
Esse país adota três idiomas oficiais: espanhol, quíchua e aimará.

A Bolívia possui duas cidades como capitais, La Paz (sede do governo e administrativa) e Sucre (legal). As cidades bolivianas que apresentam maior concentração populacional são: Santa Cruz de La Sierra (1.506.152), Alto (890.533), La Paz (835.267), Cochabamba (603.324), Sucre (265.336).

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)


La Paz, cidade sede do governo boliviano

A economia nacional é pouco desenvolvida. A agricultura é responsável por empregar 5% da força de trabalho boliviana, os principais produtos cultivados são arroz, batata, cana-de-açúcar, algodão, milho, cereal, café e folhas de coca, fato que faz do país um dos maiores fornecedores mundiais da matéria-prima para a produção de cocaína.

O país possui grandes reservas de produtos minerais, entre eles estão: estanho, prata, cobre, zinco, ouro e enxofre. Porém, os produtos mais importantes são o petróleo e o gás natural, vendido em larga escala para o Brasil.

O setor industrial, por sua vez, é pouco diversificado, com destaque para os segmentos de refino de açúcar, alimentício, mobiliário, fábricas de cigarro, de cimento e de produtos químicos. O Produto Interno Bruto (PIB) boliviano atingiu, em 2008, a marca de 16,7 bilhões de dólares.
O país integra a Comunidade Andina, bloco econômico formado pela Colômbia, Equador e Peru, além desta referida nação.

A Bolívia é uma das nações economicamente mais pobres do subcontinente sul-americano. Seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), com média de 0,643, é o terceiro menor da América do Sul, superior apenas ao do Paraguai (0,640) e da Guiana (0,611). A taxa de mortalidade infantil é altíssima (43 a cada mil nascidos vivos). A expectativa de vida é uma das menores do continente: 65 anos. Outro fator agravante é que 22% dos habitantes são subnutridos.

Bandeira da Bolívia
Bandeira da Bolívia
Publicado por: Wagner de Cerqueira e Francisco

Assuntos Relacionados