Desertificação

Desertificação
Aspecto de uma área desertificada

A redução da vegetação e da capacidade produtiva do solo caracteriza o fenômeno da desertificação. O seu desenvolvimento é mais propício em regiões áridas, semiáridas e subúmidas, podendo ser desencadeado por fatores naturais (variações climáticas) ou pela ação humana. A realização de atividades de forma insustentável na terra é o principal responsável por tal ocorrência.

O principal fator que incide no aumento da desertificação é a utilização inadequada do solo por meio das atividades humanas. Os intensos desmatamentos, mineração, expansão da agropecuária, irrigação mal planejada, entre outros, contribuem para a perda de substâncias do solo. Essas atividades levam à redução da cobertura vegetal, surgimento de terrenos arenosos, perda de água do subsolo e à erosão eólica.

As consequências são desastrosas:

- Intensificação do processo erosivo;
- Redução da disponibilidade de recursos hídricos;
- Perda da biodiversidade;
- Redução das terras agricultáveis;
- Redução da produção agrícola;
- Desenvolvimento de fluxos migratórios;
- Inchaço das cidades devido ao êxodo rural;
- Diminuição da qualidade de vida.

Esse é um fenômeno que atinge aproximadamente 15% da superfície terrestre, presente em mais de 110 países e afeta a vida de mais de 250 milhões de pessoas, sendo, portanto, um problema de ordem global. As regiões mais atingidas pela desertificação são: o Oeste da América do Sul, o Nordeste do Brasil, o Norte e Sul da África, o Oriente Médio, a Ásia Central, o Noroeste da China, a Austrália e o Sudoeste dos Estados Unidos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O território brasileiro também é afetado pela desertificação, sendo que as áreas onde esse processo ocorre de forma mais intensa são: o cerrado tocantinense, a porção norte de Mato Grosso e os pampas gaúchos. Conforme o Ministério do Meio Ambiente, o Brasil possui 13% de sua extensão territorial composta por áreas semiáridas (vulneráveis à desertificação). Nesse sentido, o país assinou, em 1995, acordos com programas da Organização das Nações Unidas (ONU) contra a desertificação. O Plano de Ação de Combate à Desertificação passou a vigorar em 2000.

Esses acordos são desenvolvidos em escala internacional. A convenção da ONU de combate à desertificação foi criada em 1994, e entrou em vigor em 1996. A mesma possui 193 membros, e tem por objetivo desenvolver projetos para a redução da desertificação, em especial nos países africanos.

Assuntos Relacionados