Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Geografia
  3. Geografia Física
  4. Explicação para os terremotos do Chile

Explicação para os terremotos do Chile

“Os terremotos do Chile ocorrem com uma relativa frequência e quase sempre são destrutivos. O território do país encontra-se em área de elevada tensão geológica.”

O Chile é uma das regiões do mundo que apresentam os maiores índices de ocorrência de terremotos, tendo sido impactado com alguns dos maiores tremores já registrados na história, o que revela o quanto esse problema é dramático nesse país.

Mas por que existem tantos terremotos no Chile?

O Chile encontra-se em uma região de elevada instabilidade geológica, propiciada pelo choque direto entre duas placas tectônicas: a de Nazca, posicionada sob o Oceano Pacífico, e a Sul-americana, posicionada na América do Sul. Não por acaso, além de abrigar terremotos, a região conta com cadeias montanhosas e atividades vulcânicas que, assim como os abalos sísmicos, são consequências da dinâmica da litosfera local.

Observe o esquema a seguir que ilustra um modelo explicativo sobre como ocorrem os terremotos tanto no Chile quanto em outros lugares do planeta.

Esquema da origem dos terremotos no Chile
Esquema da origem dos terremotos no Chile

A Placa de Nazca é geologicamente mais pesada do que a Placa Sul-americana, com isso, quando as duas se encontram, a primeira afunda e a segunda emerge. Em diversos pontos desse encontro, acumula-se energia em função do acúmulo de forças entre os dois lados. É como se, em algum momento, o movimento de uma placa sobre a outra ficasse “travado”, mas como a força continua sendo exercida, chega-se a um ponto em que a resistência das rochas não aguenta segurar esse “travamento” e acontece uma reacomodação, causando os terremotos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Dessa forma, é preciso ressaltar que, quanto maior for o tempo dessa tensão entre as placas e maior a força aplicada de uma sobre a outra, mais fortes serão os terremotos. Recentemente, no mês de abril de 2014, dois terremotos ocorreram na cidade de Iquique, no norte do Chile, onde foi liberada uma tensão entre as rochas subterrâneas que, segundo geólogos, estava se acumulado há mais de 130 anos. Portanto, os dois principais tremores atingiram, respectivamente, 7,8º e 8,2º na Escala Richter, um índice utilizado para medir a intensidade dos terremotos que vai de 1 a 10.

Quando os abalos sísmicos ocorrem em regiões oceânicas, sobretudo em áreas próximas ao litoral, existe o risco de haver tsunamis. Eles ocorrem por que os tremores no solo oceânico geram fortes ondas, que possuem a capacidade de invadir e varrer os litorais continentais por onde passam.

O maior terremoto da história também ocorreu no Chile, na cidade de Valdívia, em 1960. Nessa ocasião, a intensidade alcançou os 9,5º Richter, perfazendo um total de 2000 mortos, em uma das maiores catástrofes naturais da história da humanidade. 

Publicado por: Rodolfo F. Alves Pena
O Chile é constante alvo da ação dos terremotos
O Chile é constante alvo da ação dos terremotos

Assuntos Relacionados