Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Geografia
  3. Geografia humana
  4. Explosão demográfica

Explosão demográfica

Explosão demográfica é o crescimento elevado e acelerado da população de uma determinada localidade ou do mundo todo. Pode ser provocada por diferentes motivações.

Explosão demográfica designa o crescimento elevado da população de um determinado local ou do mundo. Esse crescimento pode ser provocado por diversos motivos, variando de acordo com o período e o contexto histórico. Esse fenômeno foi observado, principalmente, em países subdesenvolvidos após o ano de 1950, quando se elevou em um um bilhão o número de pessoas na Terra em apenas 35 anos.


Causas da explosão demográfica

O planeta atingiu o número de sete bilhões de habitantes na primeira década do século XXI, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU). De acordo com essa organização, apesar de existirem tendências de diminuição nas taxas de crescimento, o mundo ganha cerca de 84 milhões de habitantes a cada ano. Esse acréscimo populacional é visto, principalmente, em países subdesenvolvidos, que apresentam, geralmente, as maiores taxas de crescimento demográfico.

Uma das principais causas da explosão demográfica foram os avanços tecnológicos proporcionados pela Revolução Industrial. Após o início desse período, observou-se um acentuado processo de migração do campo para as zonas urbanas. Além disso, novas técnicas foram inseridas nas práticas agropecuárias, melhorando a produtividade e garantindo maior disponibilidade de alimentos.

Houve também transformação das relações de trabalho e dos modos de produção. A revolução trouxe ainda avanços tecnológicos que alcançaram a medicina, proporcionando a redução dos índices de mortalidade por meio da vacinação e do controle de epidemias. Assim, elevou-se a expectativa de vida. A população mundial que, em 1750, era em torno de 760 milhões de habitantes cresceu para 1 bilhão no ano de 1800.


Explosão demográfica após a Segunda Guerra Mundial

Foi a partir da Segunda Guerra Mundial, especificamente a partir do ano de 1950, que a população mundial cresceu consideravelmente. Esse crescimento foi observado, principalmente, em países subdesenvolvidos. Muitos desses países dobraram sua população em menos de três décadas. A população mundial, no início do século XX, era de 1,6 bilhão de pessoas. Ao final desse mesmo século, atingiu 6,1 bilhões de habitantes.

O que explica essa explosão demográfica após a Segunda Guerra Mundial é o fato de que, principalmente, os países subdesenvolvidos conseguiram controlar algumas doenças que assolavam suas populações. O avanço na medicina permitiu o desenvolvimento de vacinas capazes de erradicar algumas doenças. Além disso, houve um maior acesso a medicamentos, como antibióticos. Essas conquistas fizeram com que as taxas de mortalidade nesses países diminuíssem consideravelmente, propiciando o aumento da população.

A partir de 1950, a população mundial elevou-se de 2,5 bilhões de habitantes para 6,7 bilhões no ano de 2008. Esse crescimento foi visto, principalmente, nos países subdesenvolvidos e em desenvolvimento, que concentram, atualmente, cerca de 80% da população do planeta.

Leia também: Trabalho infantil no início da Revolução Industrial


Consequências da explosão demográfica

O crescimento acelerado da população mundial trouxe consequências para o meio ambiente, como desmatamento e esgotamento de solos, e também ampliou problemas sociais, como a fome, uma preocupação mundial que está associada à distribuição de riquezas. A ONU declarou que 842 milhões de pessoas são atingidas pela fome no mundo, e a maior parte dessas pessoas, especificamente 826 milhões, vive em países subdesenvolvidos. A ONU também estima que uma em cada oito pessoas está sob condição de subnutrição no mundo.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Muitos estudiosos acreditam que conter as taxas de natalidade nos países subdesenvolvidos é um caminho para diminuir os impactos ambientais. Repensar o modelo de desenvolvimento econômico pautado na exploração máxima dos recursos naturais visando ao lucro também é apontado como alternativa para reduzir os impactos negativos na natureza.

A urbanização contribuiu para o declínio das taxas de natalidade dos países desenvolvidos e subdesenvolvidos.
A urbanização contribuiu para o declínio das taxas de natalidade dos países desenvolvidos e subdesenvolvidos.


Implosão demográfica e explosão demográfica

Nos países desenvolvidos, apresentou-se um fenômeno com características contrárias às da explosão demográfica. A chamada implosão demográfica iniciou-se no começo do século XXI com a estabilização do crescimento populacional. Esse fenômeno indica taxas de crescimento em torno de 0% ao ano, sendo que alguns países apresentaram crescimento negativo. Esse fato fez com que alguns estudiosos da dinâmica do crescimento populacional denominassem esse fenômeno de implosão demográfica.

Estimativas da ONU sugerem que a população mundial atingirá um número de 9 bilhões de habitantes em 2050 e, a partir desse ano, entrará em estágio de declínio. Esse decrescimento será consequência do envelhecimento da população e da redução das taxas de fecundidade, decorrente da urbanização, da maior inserção da mulher no mercado de trabalho e dos avanços na saúde, que proporcionaram, por exemplo, o desenvolvimento de métodos contraceptivos.


Teoria da transição demográfica e explosão demográfica

Em alguns países subdesenvolvidos, é notável o declínio das taxas de natalidade a partir do século XX. A modernização da economia, a urbanização e a melhoria das condições médico-sanitárias, proporcionadas pelo que ficou conhecido como Revolução Médico-Sanitária, são fatores que influenciam essa desaceleração. Nos países desenvolvidos, é visível, desde o início do século XIX, uma estabilidade demográfica. Houve também uma redução das taxas de natalidade a partir do final do século XIX. Como consequência, aumentou-se, consideravelmente, o número de idosos nesses países.

Essa tendência de redução do crescimento da população faz com quem muitos autores e estudiosos da demografia não utilizem o termo explosão demográfica para definir o elevado crescimento populacional. Os demógrafos falam, então, sobre “transição demográfica”. Essa teoria foi elaborada em 1929 e afirma que todos os países tendem a estabilizar seu crescimento em um dado momento.


Explosão demográfica no Brasil

O Brasil apresentava cerca de 17 milhões de habitantes há pouco mais de um século. Hoje, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população brasileira corresponde a 204.450.649 milhões de habitantes. O crescimento populacional no Brasil elevou-se por volta do ano de 1940, quando as taxas de mortalidade apresentaram declínio em decorrência de melhorias na qualidade vida e avanços na medicina.

A partir de 1960, as taxas de crescimento começaram a declinar, motivadas pelo intenso processo de urbanização, que modificou o modo de viver das famílias, e também pela redução da taxa de fecundidade, que caiu de 6,2 filhos em 1960 para 1,9 filho em 2010, segundo dados do IBGE.

A explosão demográfica passou a ser observada a partir da década de 1950, quando países subdesenvolvidos, principalmente, passaram a apresentar cresci
A explosão demográfica passou a ser observada a partir da década de 1950, quando países subdesenvolvidos, principalmente, passaram a apresentar cresci
Publicado por: Rafaela Sousa
Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto

Assuntos Relacionados