Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Geografia
  3. Geografia humana
  4. FIB – Felicidade Interna Bruta

FIB – Felicidade Interna Bruta

Para medir o grau de desenvolvimento de um país ou nação são usados vários critérios, principalmente os econômicos. Os indicadores mais utilizados e conhecidos são o PIB – Produto Interno Bruto, que mede a riqueza produzida pelo país em um determinado período de tempo; o IDH – Índice de Desenvolvimento Humano, que objetiva analisar três variáveis – saúde, renda e educação; e o PIB per capita, que é a soma de toda riqueza produzida de um país dividida por sua população.

Entretanto, sabe-se que esses critérios são meramente quantitativos, ou seja, são baseados em estatísticas econômicas. Em muitos casos, escamoteiam problemas sociais graves, como desigualdade de renda, desigualdade social e qualidade de vida.

Um conceito que surge para auxiliar a medir o grau de desenvolvimento dos países é a FIB – Felicidade Interna Bruta. Tal conceito surgiu no Butão, um país do sul da Ásia, região conhecida como Himalaia. Além dos aspectos econômicos, os precursores do conceito de FIB acreditavam que a conservação ambiental e a qualidade de vida das pessoas representavam variáveis importantes no desenvolvimento de uma nação. Portanto, a FIB não trata somente de mensurar os aspectos quantitativos, mas também os qualitativos de uma população.

Mas como medir a FIB?

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A FIB é uma integração dos desenvolvimentos material, espiritual e cultural dos indivíduos. Assim, ela se baseia em nove variáveis: bem-estar psicológico (autoestima, estresse, etc.), saúde (políticas de saúde, hábitos que melhoram ou prejudicam a saúde), uso do tempo (tempo utilizado para o lazer, família, amigos, etc.), vitalidade comunitária (basicamente é o nível de interacionismo com a sociedade em geral), educação, cultura (avalia as festas, oportunidade de desenvolver atividades artísticas, etc.), meio ambiente (percepção da população em relação à qualidade do ar e da água, como também o acesso a parques e áreas verdes), governança (representação social da população em órgãos públicos nas esferas do executivo, legislativo e judiciário; como também sua postura como cidadão) e, por último, padrão de vida (renda familiar, dívidas, qualidade de moradia, etc.).

No Brasil, a FIB ainda não é uma realidade concreta. Atualmente, existem pesquisas experimentais, chamadas de “piloto”, no estado de São Paulo. Por ser um projeto de transformação social, a FIB pode ser tanto um parâmetro social adotado pelo governo quanto negligenciado e banalizado. O que definirá tal questão é como tal projeto será implementado e como a sociedade em geral avaliará essa novidade.

FIB: um novo conceito de desenvolvimento
FIB: um novo conceito de desenvolvimento
Publicado por: Regis Rodrigues de Almeida