Geleiras
A Antártica é a maior geleira do mundo

As geleiras, também denominadas glaciares, são formadas pelo acúmulo de neve em um determinado local, processo que pode levar até 30 mil anos para se concretizar. A neve é cristalizada e compactada em camadas, formando uma extensa massa de gelo. Esse fenômeno é mais comum nas regiões de alta latitude (nos polos terrestres) e nas cordilheiras.

Para que uma geleira seja formada é necessário que o acúmulo de neve seja superior ao processo de degelo, sendo assim, as áreas que registram baixas temperaturas são mais propícias para o surgimento e manutenção das geleiras. Por esse aspecto, as principais geleiras da Terra estão situadas nos polos, locais onde a temperatura fica negativa a maior parte do ano.

A Antártica, com cerca de 14 milhões de quilômetros quadrados, é a maior geleira terrestre. Essa região abriga aproximadamente 90% do gelo do planeta. Outras geleiras de grande destaque são a Groelândia, Ártico, Patagônia, entre tantas outras espalhadas pelas diversas cordilheiras do mundo.

Essas geleiras são de suma importância para a manutenção da vida na Terra, visto que elas concentram quase 70% da água doce. O degelo, além de reduzir a quantidade de água doce, desencadeia uma série de problemas socioambientais: aumento do nível e alteração da temperatura das águas dos oceanos, redução da biodiversidade, inundações de alguns lugares, etc.

Diante da importância das geleiras para a vida na Terra, a busca por mudanças comportamentais são urgentes, em especial no modo de produção e consumo das sociedades capitalistas, de forma a reduzir a emissão de gases que intensificam o efeito estufa e, consequentemente, minimizar o processo de aquecimento global.

Por Wagner de Cerqueira e Francisco
Graduado em Geografia