Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Geografia
  3. Continentes
  4. África
  5. Organizações Humanitárias na África

Organizações Humanitárias na África

A África é o continente que apresenta os mais graves problemas socioeconômicos do planeta, consequência do processo de colonização e independência, cujos países colonizadores exploraram as riquezas e deixaram uma verdadeira mazela.

A situação de pobreza, fome, subnutrição, doenças e guerras na África mobiliza milhares de pessoas de todo o mundo a participar dos programas de ajuda humanitária ao continente. Existem, atualmente, dezenas de grupos humanitários trabalhando em auxílio da população africana, atuando em áreas como saúde, educação, distribuição de alimentos e roupas, entre outros.

A Organização das Nações Unidas (ONU) também participa das atividades humanitárias do continente, isso ocorre, em alguns países, através de doações de recursos básicos para suprir as necessidades da população e o envio de tropas militares que tentam promover o fim dos conflitos.

Tentando contribuir de forma imediata e eficaz para minimizar o sofrimento dos habitantes da África, as Organizações Não Governamentais (ONGs) desempenham função importante nesse processo, com destaque para a organização canadense Médicos Sem Fronteiras (MSF), cujo trabalho, sem fins lucrativos, se desenvolve especialmente junto a comunidades afetadas pelas guerras.

A ONG brasileira Infanto-Juvenil de Reivindicação, também denominada Mirim-Brasil, em parceria com a organização sueca Unga Ornar, desenvolve um projeto de conscientização sobre a Aids em 15 países do continente africano, cujo público alvo são os jovens. Esse tema é elementar, visto que o continente abriga mais de 70% dos portadores mundiais do vírus HIV.

Outra organização humanitária brasileira com atuação na África é a Pastoral da Criança, entidade católica que já foi liderada pela médica Zilda Arns, morta durante um terremoto no Haiti, em 2010. A Pastoral realiza trabalhos de alfabetização, higiene e ações que possibilitem a redução da mortalidade infantil na Angola, que atualmente é de 114 óbitos a cada mil crianças nascidas vivas.

Apesar da atuação desses grupos humanitários, a atenção dada ao continente africano é insuficiente. Conforme relatório publicado em 2009 pela Cruz Vermelha Internacional e pelo Crescente Vermelho, a assistência humanitária na África não satisfaz às necessidades dos habitantes.

Esses grupos humanitários atuam de forma assistencialista, portanto, mesmo sendo de grande importância para a população africana, eles não serão capazes de solucionar os problemas do continente, sendo necessária uma política promovida pelos países ricos de inclusão global, investimentos em infraestrutura, saúde, saneamento ambiental e educação.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
Publicado por: Wagner de Cerqueira e Francisco
A atuação dos Médicos Sem Fronteiras no continente africano
A atuação dos Médicos Sem Fronteiras no continente africano

Assuntos Relacionados