Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Geografia
  3. Geografia Física
  4. Tráfico de animais

Tráfico de animais

O tráfico de animais é uma prática ilegal que consiste em retirar os animais de seu habitat natural e vendê-los clandestinamente a laboratórios de pesquisas, pet shops e até para colecionadores.

Os animais ao serem retirados de seu habitat são transportados de forma que não comem, não bebem o que provoca a morte da maioria desses, muitos morrem asfixiados. Estima-se que nove entre dez animais contrabandeados morrem antes de chegar ao seu destino por causa das más condições que lhes são impostas e ainda por conseqüência de qualquer forma de lesão e mutilação feita pelos próprios traficantes para que não produzam sons e/ou fiquem paralisados por causa da dor.

O Brasil, por causa da sua grande diversidade de espécies, é um dos países mais visados pelos traficantes e também um dos que mais sofrem, pois é ameaçado de perder suas espécies. O risco de extinção é bastante grande, já que a maioria dos animais morre e outros novos são capturados para repor os que morreram.

Acredita-se que 30% dos animais silvestres comercializados no Brasil sejam ilegais, o que coloca o IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) na posição alertar a população. O pedido é para que as pessoas não comprem animais silvestres com o objetivo de mantê-los em casa, o melhor é dar prioridade para animais domesticáveis que necessitam de um lar. É importante evidenciar que nem todos os locais que comercializam animais silvestres possuem ligação com o mercado ilegal, o que torna mais importante ainda o conhecimento da procedência dos animais.

O tráfico de animais além de prejudicar o ecossistema também pode prejudicar a saúde humana, pois muitos animais silvestres são hospedeiros de vírus que causam doenças em humanos como a febre amarela, leischmaniose e toxoplasmose.
É injetado álcool puro na veia dos micos para que fiquem quietos.
É injetado álcool puro na veia dos micos para que fiquem quietos.
Publicado por: Gabriela Cabral

Assuntos Relacionados