Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Gramática
  3. Pontuação
  4. As orações subordinadas e o uso da vírgula

As orações subordinadas e o uso da vírgula

À medida que vamos tornando-nos conhecedores assíduos dos fatos que regem a língua, sobretudo no que diz respeito ao emprego da vírgula, descobrimos que sua função vai muito além do simples conceito, ora muitas vezes proferido pelo senso comum – o de que serve para demarcar uma pausa mediante a prática da leitura.

No que tange às incumbências, este sinal de pontuação, além de separar elementos de uma oração, separa também orações, estando estas dispostas em um dado período. E assim, vale dizer que o foco de nossos estudos encontra-se direcionado para a análise do período composto por subordinação, no qual, em determinados casos, a vírgula encontra-se presente.

Partindo desta prerrogativa, analisemos as circunstâncias linguísticas em que podemos constatá-la:

* As orações subordinadas substantivas não são demarcadas pelo uso da vírgula. Como podemos constatar em:

Era importante |que você participasse.
                             Or. subord. substantiva subjetiva


Espero |que você obtenha sucesso.
              Or. subordinada substantiva objetiva direta
 

Tenho necessidade | de seu carinho.
                                       Or. subord. substantiva completiva nominal


Nota digna de atenção:


* Há neste grupo somente uma exceção: o fato de que as orações subordinadas apositivas são regidas pelo uso da vírgula ou pelos dois pontos:


Apenas tenho um desejo, que você volte em breve.


* As orações subordinadas adjetivas restritivas dispensam o uso da vírgula:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)


Os alunos |que se destacaram nas Olimpíadas |foram premiados.
                      Or. subordinada adjetiva restritiva


* Já as subordinadas adjetivas explicativas aparecem sempre demarcadas pela vírgula:


Machado de Assis, | que é autor de Dom Casmurro|, tornou-se canonizado.
                                     Or. subordinada adjetiva explicativa



* Nas adverbiais, mesmo não sendo de cunho obrigatório, é sempre recomendável utilizar a vírgula para separá-las da oração principal.


Como estava chovendo muito |,     resolvemos adiar a viagem. 
Or. subordinada adverbial causal    | Or. principal

Contudo, se a oração subordinada vier depois da principal, a vírgula pode ser dispensada.


Estudou bastante | para que pudesse obter um bom resultado nas avaliações.
Or. principal |           | Or. subordinada adverbial final


* Nas orações subordinadas reduzidas prevalecem estas mesmas considerações:

Revelando o segredo |,         você não será despedido.

Or. subord. adv. condicional reduzida de gerúndio

Constatamos que a subordinada veio antes da principal.

Analisemos outro exemplo:


Foi preparado |  para ministrar a palestra.
                            Or. principal | or. subordinada adverbial final reduzida de infinitivo.

Notamos que, neste caso, a principal veio antes da subordinada, razão pela qual constata-se o referido aspecto (a ausência da vírgula).


Por Vânia Duarte
Graduada em Letras

Assista às nossas videoaulas
loading...

Assuntos Relacionados