Aspectos do infinitivo

Não é necessário muito esforço para compreender que o infinitivo se trata de uma daquelas formas nominais: gerúndio, particípio e infinitivo. Em razão disso, o artigo que ora se evidencia tem por objetivo discorrer acerca dos muitos outros aspectos que nutrem tal forma e, assim, proporcionar a você, caro usuário (a), um entendimento mais global acerca dessa complexa classe gramatical, ora representada pelos verbos.   

Dessa forma, vejamos:

* O infinitivo apresenta um processo verbal isento de noção de tempo ou modo. Atuando, assim, como uma forma utilizada para nomear verbos. Exemplos à vista, analisemos:

Estudar é essencial ao conhecimento.
Viajar é um dos meus desejos.

* Tal forma pode ser transformada em substantivo, tendo em vista o emprego de um determinante.

O jantar já foi servido.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O cantar dos pássaros é contagiante ao entardecer.

* Na Língua Portuguesa, o infinitivo pode ser pessoal, ou seja, relacionado a algum ser; e impessoal, não se restringindo a nenhum ser em especial. Atentemo-nos aos casos que seguem:

É preciso tomarmos cuidado. (Fazendo referência à primeira pessoa do plural) 

Respeitar as leis de trânsito é obrigação de todo motorista.

* Quando utilizado na forma composta, o infinitivo possui valor de passado, fazendo referência a um processo já concluído no momento em que se fala ou escreve. Constatemos, pois, os casos representativos:

Ter acreditado em você possibilitou o amadurecimento de nossa relação.

Ser contemplado com uma viagem para o exterior abriu horizontes para minha carreira profissional.

O infinitivo se constitui de vários aspectos no que se refere ao seu valor e emprego
O infinitivo se constitui de vários aspectos no que se refere ao seu valor e emprego
Publicado por: Vânia Maria do Nascimento Duarte

Assuntos Relacionados