Derivação

A derivação ocorre quando morfemas (prefixos e sufixos) são unidos ao radical da palavra primitiva para originar outras palavras na língua portuguesa.

A derivação é realizada pela união de morfemas aos radicais das palavras primitivas
A derivação é realizada pela união de morfemas aos radicais das palavras primitivas

A derivação é realizada pela junção de morfemas derivacionais (prefixos e sufixos) aos radicais das palavras primitivas. As palavras da Língua Portuguesa são primitivas ou derivadas, ou seja, aquelas que dão origem a outras palavras ou aquelas que são originadas de outras palavras. Nesse sentido, são consideradas palavras derivadas aquelas que se formam a partir de outras palavras da língua por meio da junção de prefixos e/ou sufixos ao radical das palavras primitivas.

Observe como podem ocorrer os casos de derivação de palavras:

Derivação prefixal

Ocorre quando um prefixo é unido anteriormente ao radical da palavra primitiva. A derivação prefixal ocasiona sempre alteração no sentido do radical da palavra primitiva.

Veja os exemplos:

  • Desgostar – des (prefixo) + gostar (radical). Nesse caso, o prefixo 'des' causa um efeito de negação ao conteúdo semântico do verbo 'gostar'.

  • Descontente – des (prefixo) + contente (radical). Nesse caso, o prefixo 'des' causa um efeito de negação ao conteúdo semântico do adjetivo 'contente'.

Derivação Sufixal

Ocorre quando um sufixo é unido posteriormente ao radical da palavra primitiva. A derivação sufixal também ocasiona alteração no sentido do radical.

Veja os exemplos:

  • Falazada – fala (radical) + ada (sufixo);

  • Beleza – belo (radical) + eza (sufixo).

A derivação sufixal pode ser classificada em: nominal, Verbal e Adverbial. Observe cada um dos processos:

Sufixos nominais

São aqueles que formam substantivos e adjetivos.

Veja os exemplos:

  • Beleza (substantivo) – bel (radical) + eza (sufixo);

  • Luterano (adjetivo) – Luter (radical) + ano (sufixo).

    Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Sufixos verbais

Os sufixos verbais juntam-se aos radicais nominais para formar verbos.

Veja os exemplos:

  • Chuviscar – chuva (radical) + iscar (sufixo);

  • Canalizar – canal (radical) + izar (sufixo).

Os sufixos verbais também podem formar novos verbos quando acrescidos a radicais verbais.

Veja os exemplos:

  • Cantarolar – cantar (radical) + olar (sufixo)

  • Bebericar – beber (radical) + icar (sufixo);

Sufixo adverbial

É aquele que forma advérbios (-mente).

Veja os exemplos:

  • Ferozmente – feroz (radical) + mente (sufixo);

  • Sabiamente – sabe (radical) + mente (sufixo).

Outros processos de Derivação

A Língua Portuguesa conta também com outros processos de derivação: Parassintética, Regressiva e Imprópria. Vejamos cada um desses processos.

Derivação parassintética

Ocorre quando um radical junta-se a um prefixo e a um sufixo simultaneamente.

Veja o exemplo:

  • Desavisadodes (prefixo) + aviso (radical) + ado (sufixo).

Derivação regressiva

Ocorre pela redução da forma fonológica da palavra primitiva. A derivação regressiva produz novos substantivos derivados de verbos.

Veja o exemplo:

  • Venda – do verbo 'vender'

Derivação Imprópria

Ocorre quando há mudança de classe gramatical sem que haja alteração da palavra primitiva. Essa transformação ocorre pela anteposição de um artigo ou pronome adjetivo à palavra.

Veja o exemplo:

  • Os bons serão recompensados. (Note que o adjetivo torna-se um substantivo).

Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto

Assuntos Relacionados