Desvios linguísticos

Desvios linguísticos? Tal assunto o assusta? Se sim, não se preocupe, não estamos fazendo referência a nada concebido como “anormal”, visto que vez ou outra somos acometidos por dúvidas, questionamentos, acerca dos fatos que regem a língua de forma geral.

Em face dessa realidade, como não seria possível elencar todas as circunstâncias comunicativas que ilustram essa situação, serão abordadas algumas delas, bastante corriqueiras, no intuito de ampliar seu conhecimento e, sobretudo, ajudá-lo a evitar esses possíveis enganos. Nesse sentido, verifiquemos:

# Aquele é de menor, não deveria estar dirigindo. Se fosse de maior, a situação seria diferente.

Mediante tal enunciado, devemos compreender que não existe ninguém de menor e nem de maior. Ele é maior ou menor de idade.

# Desejávamos muito comprar aquelas casas que estão à venda, mas elas são germinadas.

Saiba, portanto, que as casas não são germinadas, mas sim geminadas, visto que tal adjetivo (geminadas) provém do substantivo “gêmeo”.

# Mais uma vez aquele aluno ficou de recuperação.

Aquele aluno, assim como todos os outros que passam por esta circunstância, não fica de recuperação, fica para recuperação.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

# Naquele momento em que você precisa de um retorno, uma resposta acerca de um dado assunto, você diz: estou no aguardo de notícias.

Entenda que a forma mais conveniente de dizer tal enunciação é “estou aguardando notícias”.

# Os cadernos exigidos pela professora são espirais ou aspirais?

Saiba que em virtude de eles possuírem a forma comparada à rosca de um parafuso, eles são espirais.

# Normalmente ouvimos muito por aí, no sentido de retratar que alguém se parece com o pai ou a mãe: “fulano é cuspido e escarrado”.

Compreenda que, nesse caso, dizemos que “O filho (a) saiu ao pai (ou a mãe), esculpido (a) e encarnado (a)”.

# O paciente foi internado com apêndice estuporado.

Dizer “estuporado” significa dizer que algo se encontra parado, paralisado, em estado de estupor. Dessa forma, o apêndice sempre se apresenta supurado, ou seja, convertido em pus, e não estuporado.

Desvios linguísticos ocorrem por dois motivos: pela falta de conhecimento ou por um mero descuido
Desvios linguísticos ocorrem por dois motivos: pela falta de conhecimento ou por um mero descuido
Publicado por: Vânia Maria do Nascimento Duarte

Assuntos Relacionados