Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Gramática
  3. Substantivo
  4. O processo de substantivação

O processo de substantivação

Ao nos referirmos ao vocábulo “processo”, deduzimos que se trata de algo passível a transformações, alterações, mudanças. E é exatamente essa linha de raciocínio que seguiremos em nossa discussão. Assim sendo, atenhamo-nos ao enunciado que segue:

Não aceitarei o não como resposta.

A análise morfológica é um dos passos que devemos seguir rumo à análise dos aspectos estruturais do enunciado. Dessa forma, tendo em vista o elemento em destaque, constatamos que se trata de um advérbio de negação. Prosseguindo adiante, procuraremos então descobrir como se demarcam os elementos essenciais dessa oração, isto é, o sujeito e o predicado. Para tanto, iremos desdobrá-la:

O não como reposta não aceitarei.

Sujeito – o não como resposta
não aceitarei – predicado


Fazendo referência ao sujeito, temos que o termo “não”, mantendo-se intacto (abstendo-se de acréscimos ou supressões), passou a ocupar outra classe gramatical, de advérbio passou a substantivo.

Em razão de tal ocorrência, na qual se percebe que unidades lexicais mudam de sentido, diferenciando do usual pelo simples fato de serem determinadas por um artigo, numeral ou pronome (no exemplo em questão, o determinante foi o artigo “o”), dizemos que se trata do processo de substantivação. Uma vez constatado tal conceito, vale mencionar que o vocábulo substantivado pode ser perfeitamente flexionado, dependendo do contexto linguístico em que estiver inserido.

De modo a ampliar ainda mais nosso conhecimento, constatemos, pois, alguns casos representativos:

Adjetivo

O pessimista tem dificuldades em tornar práticos os seus objetivos.
Constatamos que o termo em destaque, na qualidade de adjetivo, transformou-se em um substantivo.

Pronome

Meu eu se mostra insatisfeito algumas vezes.

“Eu”, considerado com um pronome pessoal do caso reto, tornou-se substantivado.

Numeral

Aqueles milhões seriam bem aproveitados.

O mesmo ocorreu com o termo milhões, de numeral passou a ser substantivado.

Advérbio

O não como resposta não aceitarei.

De advérbio passou a substantivo.

Preposição

Os contras e os prós precisam ser levados em consideração.

Constatamos um exemplo de que o vocábulo (“contra”), ao ser transformado, pode receber flexão (“contras”).

Interjeição

Esse hum não demonstrou nenhuma euforia.

Temos que “hum”, considerado uma interjeição que pode revelar distintos sentimentos, tornou-se substantivada.

Verbo

O amar é indispensável ao ser humano.

Inferimos que o termo em evidência, de verbo passou a substantivo.

Conjunção

O porquê de toda a confusão não foi explicado.

Tendo em vista que “porque” representa uma conjunção subordinada adverbial causal ou explicativa, nesse contexto recebeu a evidente transformação para substantivo.

Observações relevantes:

- Não devemos confundir substantivos acompanhados de artigos com palavras substantivadas, uma vez que nesse último caso o artigo tem a função de modificá-las, e não de acompanhá-las, determinando-as. Constatemos um exemplo no qual o artigo apenas acompanha o substantivo: A garota é gentil.

- Quando substantivados, muitos vocábulos, na condição de átonos (sem autonomia fonética), tornam-se tônicos, observe: O quê da questão é exatamente outro.

- Palavras geralmente invariáveis, quando substantivadas, podem perfeitamente receber flexão: Quantos cincos já saíram no jogo?

- O vocábulo substantivado pode ocupar funções sintáticas distintas, como por exemplo, a de sujeito e a de complemento: O sim foi dito muitas vezes (sujeito) / Prefiro dizer um não. (objeto direto)

Por Vânia Duarte
Graduada em Letras

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
O processo de substantivação caracteriza a mudança da classe gramatical de um dado vocábulo
O processo de substantivação caracteriza a mudança da classe gramatical de um dado vocábulo
Publicado por: Vânia Maria do Nascimento Duarte

Assuntos Relacionados