Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Gramática
  3. Classe de palavras
  4. Pronomes
  5. O pronome “todo” deve ou não vir acompanhado de artigo?

O pronome “todo” deve ou não vir acompanhado de artigo?

O pronome “todo” pode surgir nas orações precedido ou sucedido do artigo definido “o”, gerando efeitos de sentido distintos nos enunciados.

A Gramática reconhece diversas classificações à palavra “TODO”, já que ela pode exercer diversas funções sintáticas e classificações morfológicas no interior das orações (adjetivo, advérbio, pronome indefinido e substantivo). Desse modo, como a palavra “TODO” exerce distintas funções, ela também apresenta diferenciação semântica e gera diferentes efeitos de sentido nos enunciados.

Vejamos como isso acontece se observarmos as distintas funções e efeitos causados pelas formas:

TODO e TODO O”, “TODA e TODA A”

Primeiro, observe que aquilo que diferencia essas formas é o uso ou omissão dos artigos definidos (“O” e “A”).

  • TODO = qualquer

  • TODO O = inteiro

Agora, leia as orações a seguir e reflita a respeito dos efeitos de sentido causados pelo pronome “TODO”:

Pensei em Clara durante todo o dia.

Penso em Clara todo dia.

Ao analisá-las, é possível perceber que:

  • Na primeira oração, o artigo definido “O”, que sucede o pronome “todos”, sugere a ideia de que o sujeito pensou em Clara durante apenas aquele dia especificamente. Podemos dizer também que o sujeito pensou em Clara apenas no período diurno. Assim, atribui-se ao pronome “TODO” o significado de "qualquer".

  • Já na segunda oração, o pronome “TODO” não aparece nem precedido e nem sucedido do artigo definido “O”, e essa ausência gera um efeito de sentido distinto da oração anterior. Observe que, nessa oração, o sujeito pensa em Clara todo dia, ou seja, constantemente. Caso o falante deseje pronunciar a oração no plural, gerando o mesmo efeito de sentido, deverá acrescentar o artigo definido também no plural “OS”: “Penso em Clara todos os dias”. Assim, atribui-se a “TODO O” o significado de "inteiro".

    Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Leia e observe esses mesmos efeitos de sentido causados pela palavra “TODO” em outras orações:

  • Todo mundo contava com sua participação no evento.

Note que o contexto revela que se trata das pessoas em geral, constituintes de um grupo específico.

  • A violência está espalhada por todo o mundo.

Note que aqui o contexto nos revela que se trata de um problema que assola o mundo inteiro.

Vejamos alguns casos particulares:

a) O pronome indefinido será usado sem o artigo quando houver um nome em função predicativa:

  • Tinha dois empregos, todos temporários.

b) O pronome indefinido plural “TODOS” será sucedido de artigo definido plural se o numeral vier seguido de substantivo.

  • Todos os nove deputados foram indiciados.

c) Quando cumpre a função de advérbio e sugerir o sentido de “completamente”, a palavra “TODO” será flexionada como se fosse adjetivo, ou seja, em gênero, grau e número:

  • A cidade estava toda maravilhada.

  • Os operários caminhavam todos felizes.

O pronome “todo”, quando acompanhado ou não de artigo, exerce diferentes funções no interior das orações
O pronome “todo”, quando acompanhado ou não de artigo, exerce diferentes funções no interior das orações
Publicado por: Luciana Kuchenbecker Araújo

Assuntos Relacionados