Organização sintática

Quando o assunto é a linguagem escrita muito se tem a dizer, haja vista os requisitos que dela se demandam. Um deles reside no fato do conhecimento de mundo, advindos do emissor, pois se torna difícil, para não dizer impossível, discorrermos acerca daquilo que não temos conhecimento. Outro, também de singular importância, diz respeito ao acervo lexical, ou seja, pura e simplesmente fazendo referência ao vocabulário de que dispõe o emissor nesse momento tão especial.    

Obviamente que se ele for limitado, a qualidade do discurso também ficará comprometida, pois quanto mais ampliamos esse nosso acervo, mais temos condições de elaborar bem nossas ideias, fazendo as opções necessárias, escolhendo a palavra ideal, digamos assim, a cada argumento que nos propomos a abordar. Para tanto, urge a necessidade de ampliarmos essa competência, no sentido de praticarmos a leitura constante, estarmos cercados de informações relevantes à construção de nossos discursos, bem como compartilharmos ideias, informações com pessoas dotadas de um grau de conhecimento maior, as quais só têm a nos oferecer algo de positivo.

Mas ainda há muitos a serem abordados, ainda que aqui não mencionados. No entanto, atendendo ao propósito a que presta o presente artigo, um deles, essencial por sua vez, enfatizaremos acerca da importância de dispô-lo e cultivá-lo, sempre: a organização sintática.

Pense na possibilidade de você dispor de um acervo lexical (vocabulário) considerável, apresentar-se como alguém munido de informações relevantes a uma boa conversa, mas... no momento de transpor suas ideias para o papel não dispuser da habilidade necessária  para organizá-las de modo a formar um discurso todo coerente. Já imaginou?  Isso, quando manifestado, deve-se ao fato de o emissor não ter o conhecimento necessário das regras da língua como um todo. Ou seja, trocando em simples palavras, a organização sintática se evidencia pela habilidade em organizar a mensagem de forma que cada palavra adquira seu lugar determinado na oração. A título de ilustração, analisemos o seguinte enunciado:

Aurora despontou belo da ao radiante dia raiar dia e o.

Coloquemos em prática a habilidade antes ressaltada e reformulemos a mensagem, de modo a torná-la clara, precisa, dotada de um significado, tão importante, quanto necessário:

Ao raiar da aurora, o dia despontou belo e radiante.    

Você deve estar se perguntando: Por que o uso da vírgula, seria ela tão importante?

Saiba que ela pode ou não existir, haja vista que se trata de um elemento deslocado o qual, sintaticamente falando, representa um adjunto adverbial de tempo, podendo ou não ser separado entre esse sinal de pontuação, a depender, também, de sua extensão.

Mediante os pressupostos aqui firmados, retomemos a noção do que seja a organização lexical, manifestada pela competência de que dispõe o emissor (ou pelo menos deveria dispor) em saber articular as partes de um enunciado, de modo a torná-lo claro para o leitor.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
A organização sintática se manifesta pela habilidade do emissor em saber articular bem as partes de um discurso.
A organização sintática se manifesta pela habilidade do emissor em saber articular bem as partes de um discurso.
Publicado por: Vânia Maria do Nascimento Duarte

Assuntos Relacionados