Civilização Asteca

Surgida com a fundação da cidade de Tenochtitlán, a Civilização Asteca foi herdeira dos mexicas e comandou um grande império, conquistado pelos espanhóis no século XVI.

Os astecas foram um povo mesoamericano que se estabeleceu na região do Vale do México e formou uma das maiores civilizações pré-colombianas. O crescimento da Civilização Asteca ocorreu a partir de conquistas territoriais sobre os povos vizinhos, os quais foram obrigados a pagar impostos para os astecas. A decadência desse povo teve início com a chegada dos espanhóis à região no século XVI.

Origens dos astecas

Os astecas são originários de outra civilização pré-colombiana conhecida como mexicas. Os mexicas, segundo os historiadores, estabeleceram-se no Vale do México provavelmente após migrarem da região Sul do atual Estados Unidos e Norte do México para a região central do atual território mexicano.

Esse território constitui atualmente a região central do México, onde os mexicas estabeleceram-se originalmente em uma ilha que ficava no lago Texcoco. As lendas astecas afirmavam que esse povo fixou-se nesse local após visualizar um presságio do deus Huitzilopochtli indicando onde os mexicas deveriam viver.

Ainda segundo essas lendas, esse presságio seria a imagem de uma águia, pousada sobre um cacto, segurando uma serpente. Assim, foi fundada Tenochtitlán em 1325, que se transformou em uma cidade muito próspera e capital do Império Asteca. O crescimento dessa cidade estava relacionado com o fortalecimento dos astecas e a conquista dos povos vizinhos.

Os historiadores apontam que, à medida que a cidade de Tenochtitlán tornava-se rica, os astecas aliavam-se com outras cidades vizinhas, formando uma Tríplice Aliança que conquistou os povos das redondezas. Dessa forma, os astecas constituíram um império que possuía cerca de 11 milhões de habitantes.

Características dos astecas

Uma vez consolidado o poderio dos astecas sobre a região do Vale do México, os povos dominados eram obrigados a pagar pesados impostos para eles. Esses impostos eram pagos em itens de valor para a época e, caso não fossem pagos, os astecas, em represália, puniam os povos conquistados. Os impostos eram cobrados pelo imperador asteca, que na língua local, o nahuatl, era chamado de Hueyi Tlatoani.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A sociedade asteca era estratificada, portanto, era dividida em classes sociais organizadas de acordo com seu poderio econômico. No topo da sociedade, estavam o imperador e sua família, seguidos de sacerdotes e funcionários de estado, que formavam a elite. Outros grupos que constituíam a sociedade asteca eram comerciantes, artesãos, camponeses e escravos. Esse conhecimento que os historiadores têm acerca da sociedade asteca foi possível graças aos códices, documentos astecas que descreviam o cotidiano e o modo de vida asteca.

Os astecas tiravam o básico de sua sobrevivência da agricultura, com a produção de diversos gêneros agrícolas como batata e tomate. A riqueza da agricultura dos astecas estava relacionada com a técnica agrícola utilizada, que se chamava chinampa. As chinampas eram ilhas artificiais construídas com matéria orgânica que eram colocadas para flutuar sobre o lago Texcoco.

Essa técnica possibilitou elevar a produção agrícola dos astecas, ao ponto de conseguirem alimentar uma população superior a 200 mil habitantes, dos que viviam somente em Tenochtitlán. Aos astecas também atribui-se o feito de ter construído canais de irrigação, que levavam água potável do lago, e diques que barravam o avanço da água etc.

No campo da religião, os astecas eram politeístas, ou seja, adoravam vários deuses, dos quais destacavam-se Huitzilopochtli, Quetzalcoatl e Tezcatlipoca. O elemento mais conhecido da religião asteca é a alta demanda de sacrifícios humanos. Os astecas acreditavam que os sacrifícios humanos era uma forma de agradar aos deuses, assim, sacrificavam principalmente os prisioneiros obtidos em batalhas.

Os astecas entraram em decadência a partir de 1519, quando os espanhóis chegaram à região do Vale do México liderados pelo espanhol Hernán Cortés. Os desentendimentos entre esses dois povos levaram a um confronto que foi responsável pela conquista da cidade Tenochtitlán em 1521. Os espanhóis causaram a morte de milhões de astecas.

*Créditos da imagem: Fabio Imhoff e Shutterstock

Códice Borbônico era um manuscrito feito por sacerdotes astecas em pictogramas
Códice Borbônico era um manuscrito feito por sacerdotes astecas em pictogramas
Publicado por: Daniel Neves Silva
Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto
Assista às nossas videoaulas

Assuntos Relacionados