Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. História da América
  3. Hugo Chávez

Hugo Chávez

Hugo Chávez foi um militar venezuelano que organizou uma tentativa de golpe em 1992 e foi eleito presidente do país em 1998. Ocupou a presidência entre 1999 e 2013.

Hugo Chávez foi presidente da Venezuela durante catorze anos, mais precisamente entre 1999 e 2013. Tornou-se uma figura conhecida da política venezuelana após orquestrar uma tentativa de golpe militar contra o governo venezuelano no começo da década de 1990. Anos depois, foi eleito presidente do país e iniciou um regime que nomeou de bolivarianismo. Faleceu em 2013 em decorrência de um câncer.

Infância e juventude

Hugo Rafael Chávez Frias nasceu em 28 de julho de 1954 na cidade de Sabaneta, localizada no estado de Barinas, na Venezuela. Os pais de Hugo Chávez eram Hugo de los Reyes Chávez e Elena Frías e ambos atuavam como professores. Por ser membro de uma família simples, Hugo Chávez optou por ingressar no exército venezuelano.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Hugo Chávez e o golpe militar de 1992

Na década de 1980, Hugo Chávez começou a aderir a ideais revolucionários, e isso o levou a fundar o Movimento Bolivariano Revolucionário 200, mais conhecido pela sigla MBR-200. Esse grupo ficou muito conhecido por ter em Simón Bolívar a sua grande inspiração. Também inspiravam a ideologia desse grupo Ezequiel Zamora e Simón Rodríguez, importantes nomes da história venezuelana e que simbolizavam a luta revolucionária para a Esquerda daquele país.

Em 1992, os revolucionários do MBR-200 tentaram tomar o poder por meio da derrubada da Quarta República Venezuelana, que, na época, era presidida por Carlos Pérez. O golpe, todavia, fracassou, e Hugo Chávez e outros militares foram presos. O presidente Carlos Pérez, por sua vez, foi destituído em 1993 por causa de escândalos de corrupção, e Rafael Caldeira assumiu a presidência.

O envolvimento de Chávez no golpe de 1992 tornou-o famoso, principalmente em virtude de uma entrevista dada por ele em cadeia nacional de televisão. Nesse aparecimento televisionado, Hugo Chávez orientava seus companheiros a depor as armas, afirmando que a “missão deles havia fracassado por enquanto”.

Toda uma campanha pela libertação de Hugo Chávez surgiu na Venezuela, e o militar foi libertado em 1994 após o presidente Rafael Caldeira anistiá-lo. Assim, Chávez optou por alcançar o poder na Venezuela de outra forma: em vez de apostar no poder das armas, resolveu seguir o caminho político-partidário.

Hugo Chávez fundou o Movimento V República (“V” no sentido de quinta), também conhecido como MVR. Aproveitando-se do descontentamento popular com os rumos da política venezuelana, sobretudo com a corrupção, Chávez desenvolveu um discurso prometendo construir uma democracia que usasse a riqueza em petróleo do país para melhorar a vida dos pobres.

Esse discurso, aliado à fama pelo golpe de 1992 e ao descontentamento das pessoas com a política da Venezuela, resultou na vitória de Chávez na eleição presidencial disputada em 1998, na qual obteve 56% dos votos. Ele tomou posse da presidência venezuelana em fevereiro de 1999.

Governo Chávez

Com a vitória de Chávez, uma série de transformações aconteceu na Venezuela. A principal mudança aconteceu como cumprimento de uma promessa de campanha de reformar a Constituição do país por meio de uma Assembleia Constituinte. A nova Constituição venezuelana foi redigida e promulgada por políticos que apoiavam o novo presidente.

Com a nova Constituição aprovada, Hugo Chávez concorreu a uma nova eleição presidencial para estender seu mandato aos termos da nova Constituição (seis anos). Foi eleito com 60% dos votos. De acordo com muitos analistas em Ciência Política, o governo de Chávez era populista e promoveu o enfraquecimento da democracia na Venezuela.

Acesse também: Você sabe o que é populismo?

Hugo Chávez também promoveu diversas reformas no país, as quais foram responsáveis por ampliar a distribuição de renda na Venezuela. São exemplos das ações de Chávez a criação de programas de bem-estar social e políticas públicas que ampliaram o acesso da população mais pobre do país à educação e saúde.

Isso garantiu um forte apoio a Chávez da população mais carente, mas também foi responsável por consolidar uma oposição ao seu governo entre a elite econômica do país. Essa elite, inclusive, passou a conspirar para derrubá-lo.

Golpe de Estado de 2002

A insatisfação da elite venezuelana deve-se principalmente ao combate de uma série de privilégios históricos dessa classe por parte do governo chavista, além de os gastos do governo visarem a políticas de bem-estar social. A consolidação de uma oposição contra Chávez encontrou em 2002 o momento certo para agir contra o governo.

Em 2002, a economia venezuelana não ia bem, o que gerou insatisfação e queda da aprovação do governo de Chávez. Nesse contexto, um golpe de Estado foi realizado contra o governo. Membros do exército venezuelano anunciaram a destituição de Chávez e nomearam Pedro Carmona como presidente no dia 11 de abril.

No dia 14 de abril, no entanto, o golpe fracassou, pois a resistência das forças chavistas garantiu a restauração de Hugo Chávez como presidente do país. Ao se manter como presidente em meio a uma tentativa de golpe, Chávez procurou criar mecanismos para sobreviver no poder: fortaleceu sua posição no Executivo enfraquecendo as estruturas democráticas da Venezuela e reforçando seu poder por meio do apoio aos militares.

Em 2006, Chávez venceu uma nova eleição presidencial no país e reafirmou a sua força política. Nessa eleição, o político venezuelano conquistou aproximadamente 63% dos votos, derrotando o candidato Manuel Rosales. Com a vitória, Chávez reforçou o discurso de ampliar as transformações na Venezuela na direção do “socialismo para o século XXI”.

Morte de Hugo Chávez

Em 2011, o presidente venezuelano foi diagnosticado com câncer na região pélvica. Com essa notícia, Chávez iniciou uma série de tratamentos contra a doença em Cuba e na Venezuela. Em meio ao tratamento, concorreu a uma nova eleição presidencial em 2012 por meio de uma manobra política que lhe permitiu concorrer a reeleição quantas vezes quisesse.

Chávez disputou a presidência contra Henrique Caprilles e obteve vitória com 55% dos votos. No entanto, o estado de Chávez agravou-se, e ele acabou falecendo em 5 de abril de 2013, em um momento em que a crise da economia venezuelana começava a despontar. Seu vice, Nicolás Maduro, foi eleito presidente em nova eleição presidencial convocada. Foi no governo de Maduro que a crise política e econômica venezuelana alcançou níveis sem precedência na história do país sul-americano.

Polêmicas

O legado de Hugo Chávez é extremamente controverso. Os números apontam claramente que a pobreza na Venezuela diminuiu durante os seus catorze anos de governo. Esses ganhos sociais ocorreram, porém, à custa da corrosão da estrutura democrática da Venezuela, uma vez que as instituições democráticas tiveram seu funcionamento prejudicado, e os opositores do chavismo foram abertamente perseguidos.

Leia também: Imigração de venezuelanos no Brasil

A crise econômica também está diretamente relacionada com a política econômica fracassada de Chávez. O presidente venezuelano escorou a economia do país no principal produto da Venezuela: o petróleo. Enquanto o preço da commodity estava elevado no mercado internacional, a economia venezuelana foi bem, mas a partir da queda do valor do petróleo, a Venezuela sentiu fortes impactos.

*Créditos da imagem: Harold Escalona e Shutterstock

Hugo Chávez foi eleito presidente da Venezuela em 1998 e governou o país durante catorze anos (1999-2013).*
Hugo Chávez foi eleito presidente da Venezuela em 1998 e governou o país durante catorze anos (1999-2013).*
Publicado por: Daniel Neves Silva

Assuntos Relacionados