Vikings

Os vikings foram um dos povos mais violentos da Idade Média, mas também se destacaram em outros campos, como a navegabilidade marítima.

Vikings
Acima, um modelo de embarcação usada pelos vikings
  • Quem foram os vikings?

Os vikings foram um povo de origem nórdica europeia que se caracterizou pela grande capacidade de navegação em alto-mar e pelas ações de conquista e pilhagem de várias partes da Europa durante a Idade Média. Os vikings eram originários da Escandinávia, isto é, da região que hoje compreende Noruega, Suécia e Dinamarca, mas acabaram expandindo-se para a Islândia, Normandia, Grã-Bretanha, Leste Europeu e Península Ibérica. Alguns autores acreditam que é possível falar de uma Era Viking, que teria durado de 793 d.C. até 1066 d.C.
 

  • Expansão e contato com a cultura cristã

A expansão dos vikings coincidiu com o período de expansão da cristandade, isto é, da civilização cristã europeia, para o norte do continente (mais detalhes podem ser encontrados aqui). Um dos documentos principais que expõem a trajetória dos vikings é a Crônica Anglo-Saxônica, uma compilação de narrativas que contam a história da antiga Inglaterra na Baixa e Alta Idade Média.

Exímios navegadores, os vikings viajavam em embarcações chamadas de drakkars (“dragões” - como a que está na imagem do topo deste texto), que eram longas e estreitas e tinham a polpa bastante angulada, com a forma de “V, o que possibilitava maior rapidez. Esse tipo de embarcação permitiu aos vikings disseminarem-se e estabelecerem-se em várias regiões. Porém, a fixação maior ocorreu na Grã-Bretanha, que ficou conhecida como Danelaw.

Os vikings recebiam denominações diversas de acordo com a região que ocupavam. Entre os bretões, nas ilhas da Grã-Bretanha, por exemplo, eram chamados de dinamarqueses ou danes (por isso o nome do país escandinavo, Dinamarca); em outras regiões, de suecos, e por aí vai. As tentativas de ocupação viking das terras britânicas ocorreram na segunda metade do século IX. A resistência às investidas dos escandinavos partiu da dinastia de Wessex, de reis cristãos ingleses, como Alfredo.
 

  • Guerras contra Alfredo da Inglaterra

As campanhas dos vikings contra o rei Alfredo ocorreram entre 892 d.C. A 896 d.C. e foram compiladas na Crônica Anglo-saxônica. Conta o historiador Christopher Dawson que:

[…] nunca houve uma guerra que ameaçasse tão diretamente a existência da cristandade ocidental; de fato, essa resistência cristã tem mais direito de receber o nome de cruzada que as próprias Cruzadas. A resistência obstinada aos ataques vikings forçou a incipiente ordem da cristandade ocidental a um terrível teste, cuja dureza e seriedade descartou tudo aquilo que era fraco e supérfluo, deixando apenas os elementos mais fortes e resistentes, habituados à insegurança e à violência. (DAWSON, Christopher. Criação do Ocidente: a Religião e a Civilização Medieval. Trad. Maurício Righi. p. 120.)

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A ação dos vikings nas regiões conquistadas era bastante violenta. A matança e os saques eram constantes. Um dos alvos mais buscados eram os monastérios, nos quais se encontravam muitos símbolos cristãos feitos de metais como ouro e prata. Nos anos da guerra contra Alfredo, a cultura monástica foi completamente destruída em parte da Grã-Bretanha. Continua Dawson:

Esses anos testemunharam a completa destruição da cultura monástica da Nortúmbria e da Anglia Oriental que produziram ricos frutos no século anterior. Foram anos que marcaram o término da grande era da cultura cristã celta. É verdade que ela sobreviveu, contudo, enfraquecida e empobrecida. O próprio Império Carolíngio desintegrou-se, e um ponto final foi colocado sobre o reflorescimento intelectual do período, justamente quando este alcançava seu momento mais criativo na vida e obra de João Escoto Servatus Lupus. (DAWSON, Christopher. Op. Cit. p. 120).
 

  • Leif Eriksson e a chegada ao continente americano

Uma curiosidade importante sobre os vikings é o fato de terem eles, cerca de 400 anos antes de Cristóvão Colombo, “descoberto” o continente americano. O responsável por tal empreendimento foi Leif Eriksson, filho de Eric, o Vermelho. Eriksson foi o colonizador da Groenlândia e tinha a intuição (pautada em antigas lendas) de que havia terras para além de onde estava.

Por volta do ano 1000, Leif Eriksson navegou em direção ao sudeste e “descobriu” o que hoje é o extremo norte do Canadá. À nova terra, Eriksson deu o nome de Vinland. Nessa terra, os vikings construíram algumas colônias que sobreviveram por mais de uma década, sendo depois destruídas por populações indígenas locais.

Os vestígios da civilização viking no Canadá foram descobertos em 1960 e hoje fazem parte do sítio arqueológico L'Anse-aux-Méduses, Caverna das Medusas (Águas-vivas).

Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto
Assista às nossas videoaulas

Assuntos Relacionados