Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Química
  3. Físico-Química
  4. Equilíbrio Químico
  5. Cálculo da constante de equilíbrio Kp

Cálculo da constante de equilíbrio Kp

O cálculo da constante de equilíbrio em termos de pressões dos gases envolve basicamente determinar as pressões parciais com base na Lei de Dalton.

Qual será a constante de equilíbrio em termos de pressão dos gases dentro do cilindro?
Qual será a constante de equilíbrio em termos de pressão dos gases dentro do cilindro?

Antes de ler este texto, se você tiver quaisquer dúvidas sobre o que é a constante de equilíbrio Kp e sobre como escrever a sua expressão para reações em equilíbrio, leia o texto Constante de equilíbrio Kp.

Tendo essas informações esclarecidas, agora vamos aprender como calcular o valor de Kp. Geralmente, os passos necessários para tal são:

1º) Determinar a fração molar (x) de cada gás;

2º) Determinar as pressões parciais de cada gás;

3º) Substituir os valores das pressões parciais na expressão de Kp.

A fração molar (x) de cada gás é dada pela fórmula:

xgás = ngás
           ntotal

Sendo que “n” é o número em quantidade de matéria (mol). Esse passo é necessário porque, conforme explicado no texto Pressão parcial (Lei de Dalton), a lei das pressões parciais criada por Dalton estabelece que “a pressão total do sistema corresponde à soma das pressões parciais exercidas por cada um dos gases que compõem a mistura (Ptotal = P1 + P2 + P3 + P4… ou P = Σp)”. Essa lei diz também que “essa pressão exercida pela mistura gasosa está diretamente relacionada com a quantidade de partículas de cada gás”. Por isso, temos para um determinado gás:

Pgás = ngás
 Ptotal   ntotal

ou

                                                             Pgás = xgás → Pgás =Ptotal . xgás
                                                             Ptotal

Consideremos um exemplo:

Em um cilindro dotado de êmbolo, como esquematizado abaixo, há vários gases em equilíbrio à temperatura constante. A pressão parcial do sistema é 10 atm, e a temperatura, 24ºC. Determine a constante de equilíbrio (Kp) para o sistema no sentido considerado. (Dado: 0,082 atm . L . K-1 . mol-1).

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Cilindro com êmbolo em exercício sobre constante de equilíbrio (Kp
Cilindro com êmbolo em exercício sobre constante de equilíbrio (Kp)

Resolução:

Considerando os dois gases acima, temos a seguinte reação em equilíbrio

N2O4(g) ↔ 2 NO2(g)

Sua expressão da constante de equilíbrio, em termos de pressões parciais, é:

Kp = (pNO2)2
          pN2O4

Vamos, então, seguir os três passos indicados mais acima:

1º) Determinar a fração molar (x) de cada gás:

xN2O4 = nN2O4              xNO2 = nNO2
                
ntotal                          ntotal

xN2O4 = 6 mol              xNO2 = 2 mol
            8 mol                         8 mol
xN2O4 = 0,75               xNO2 = 0,25

2º) Determinar as pressões parciais de cada gás:

Conforme a Lei de Dalton, temos:

PN2O4 = Ptotal . xN2O4                PNO2 = Ptotal . xNO2
PN2O4 = 10 . 0,75                      PNO2 = 10 . 0,25
PN2O4 = 7,5 atm                        PNO2 = 2,5 atm

3º) Substituir os valores das pressões parciais na expressão de Kp:

Kp = (pNO2)2
          pN2O4

Kp = (2,5)2
         7,5

Kp = 6,25
         7,5
Kp = 0,83

A constante de equilíbrio (Kp) para o sistema no sentido considerado, a 24 ºC, é de 0,83. 

Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto

Assuntos Relacionados