Equação de dissociação de sais

A equação de dissociação de sais apresenta os íons que são liberados por essa substância quando dissolvida em água ou fundida.

Os sais são compostos iônicos (por apresentarem metal na sua constituição) e, por isso, quando adicionados à água ou passarem pelo processo de fusão, sofrem o fenômeno físico da dissociação. A fórmula química de um sal pode ser representada de forma geral por:

XY

O X presente na fórmula de um sal sempre será o cátion, que será um metal qualquer ou o grupo amônio (NH4). Já o Y sempre será o ânion, que pode ser apenas um ametal qualquer ou um conjunto de dois ou três elementos químicos diferentes.

Dissociação é o fenômeno físico em que o cátion e o ânion presentes na constituição estrutural do sal são separados. Todo fenômeno de dissociação é representado por uma equação, na qual teremos a indicação aq (que significa aquoso), se o sal for adicionado em água; ou o símbolo Δ (que significa aquecimento), se o sal sofrer o processo de fusão. Veja:

XY(aq) → X+ + Y-

ou


Íons liberados a partir da fusão de um sal

A montagem da equação de dissociação de sais depende da fórmula do sal, já que as quantidades de cátions e ânions na fórmula podem variar. Veja alguns exemplos:

a) Dissociação de sais cujas quantidades de cátions e ânions são diferentes de 1.

Exemplo 1: Sulfato de alumínio [Al2(SO4)3]

A fórmula do sulfato de alumínio apresenta dois átomos de alumínio (cátion) e três grupos sulfato SO4 (ânion). Portanto, as cargas dos dois grupos, cátion e ânion, são diferentes. A carga do ânion é -2 porque há dois cátions, e a carga do cátion é +3 porque há três ânions.

Para construir a equação de dissociação desse sal, devemos colocar o coeficiente 2 na frente do cátion e o coeficiente 3 na frente do ânion, como na equação abaixo:

Al2(SO4)3(aq) 2 Al+3 + 3 SO4-2

Exemplo 2: Tiossulfato de titânio IV [Ti2(S2O3)4]

A fórmula do tiossulfato de titânio IV apresenta dois átomos de titânio (cátion) e quatro grupos tiossulfato S2O3 (ânion). Portanto, as cargas dos dois grupos, cátion e ânion, são diferentes. A carga do ânion é -2 porque há dois cátions, e a carga do cátion é +4 porque há quatro ânions.

Para construir a equação de dissociação desse sal, devemos colocar o coeficiente 2 na frente do cátion e o coeficiente 4 na frente do ânion, como na equação abaixo:

Ti2(S2O3)4(aq) 2 Ti+4 + 4 S2O3-2

b) Dissociação de sais com apenas um cátion

Exemplo 1: Iodeto de cálcio (CaI2)

A fórmula do iodeto de cálcio apresenta um átomo de cálcio (cátion) e dois grupos iodeto I (ânion). Portanto, as cargas dos dois grupos, cátion e ânion, são diferentes. A carga do ânion é -1 porque há um cátion, e a carga do cátion é +2 porque há dois ânions.

OBS.: Na fórmula de uma sal, o número localizado logo após os parênteses do oxigênio sempre será a carga do cátion.

Para escrever a equação de dissociação desse sal, devemos colocar o coeficiente 2 na frente do ânion, já que a sua fórmula indica a presença de três unidades de iodeto (I), como na equação abaixo:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

CaI2(aq) Ca+2 + 2 I-1

Exemplo 2: Nitrato de crômio III [Cr(NO3)3]

A fórmula do nitrato de crômio III apresenta um átomo de crômio (cátion) e três grupos nitrato NO3 (ânion). Portanto, as cargas dos dois grupos, cátion e ânion, são diferentes. A carga do ânion é -1 porque há um cátion, e a carga do cátion é +3 porque há três ânions.

Para escrever a equação de dissociação desse sal, devemos colocar o coeficiente 3 na frente do ânion, já que a sua fórmula indica a presença de três unidades de nitrato (NO3), como na equação abaixo:

Cr(NO3)3(aq) Cr+3 + 3 NO3-1

c) Dissociação de sais com apenas um ânion

Exemplo 1: Dicromato de potássio (K2Cr2O7)

A fórmula do dicromato de potássio apresenta dois átomos de potássio (cátion) e um grupo dicromato Cr2O7 (ânion). Portanto, as cargas dos dois grupos, cátion e ânion, são diferentes. A carga do ânion é -2 porque há dois cátions, e a carga do cátion é +1 porque há um ânion.

OBS.: Na fórmula de uma sal, o número localizado logo após o elemento oxigênio nunca será a carga do cátion, pois faz parte da composição do ânion.

Para escrever a equação de dissociação desse sal, devemos colocar o coeficiente 2 na frente do cátion, já que a sua fórmula indica a presença de três unidades de potássio (K), como na equação abaixo:

K2Cr2O7(aq) 2 K+1 + Cr2O7-2

Exemplo 2: Fosfato de ouro I (Au3PO4)

A fórmula do fosfato de ouro I apresenta três átomos de ouro (cátion) e um grupo fosfato PO4 (ânion). Portanto, as cargas dos dois grupos, cátion e ânion, são diferentes. A carga do ânion é -3 porque há três cátions, e a carga do cátion é +1 porque há um ânion.

Para escrever a equação de dissociação desse sal, devemos adicionar o coeficiente 3 na frente do cátion, já que a sua fórmula indica a presença de três unidades de ouro (Au), como na equação abaixo:

Au3PO4(aq) 3 Au+1 + PO4-3

d) Dissociação de sais cuja quantidade numérica de cátions e ânions é a mesma

Exemplo 1: Sulfato de magnésio (MgSO4)

O sulfato de magnésio apresenta em sua fórmula apenas um átomo de Mg (cátion) e um grupo sulfato SO4 (ânion). Assim, concluímos que ambos apresentam cargas de mesmo valor (com sinais opostos), pois a quantidade de cátions e ânions é a mesma. Como o ânion sulfato apresenta carga -2, logo, o átomo de magnésio apresenta carga +2. Por isso, a equação de dissociação desse sal deve ser representada da seguinte forma:

MgSO4(aq) Mg+2 + SO4-2

Exemplo 2: Carbonato de chumbo II (PbCO3)

O carbonato de chumbo II apresenta em sua fórmula apenas um átomo de Pb (cátion) e um grupo CO3 (ânion). Assim, concluímos que ambos apresentam cargas de mesmo valor (com sinais opostos), pois a quantidade de cátions e ânions é a mesma. Como o ânion carbonato apresenta carga -2, o átomo de chumbo apresenta carga +2. Por isso, a equação de dissociação desse sal deve ser representada da seguinte forma:

PbCO3(aq) Pb+2 + CO3-2

Representação da dissociação do cloreto de amônio
Representação da dissociação do cloreto de amônio
Publicado por: Diogo Lopes Dias

Assuntos Relacionados