Você está aqui Mundo Educação Química Química presente em alimentos Origem e composição da canela
Origem e composição da canela
A canela é uma especiaria que além de deixar o alimento muito saboroso, também ajuda a conservá-lo

A canela (Cinnamomum zeylanicum) é obtida por meio do tronco da caneleira, uma árvore que tem seus galhos secos separados de suas “cascas” de cor marrom-avermelhadas, muito perfumadas. Essa árvore é nativa do antigo Ceilão, atual Sri Lanka, ao sul da Índia.

Canela de acordo com origens: Ceilão, Batavia, China, Saigon

Essa especiaria muito cobiçada no passado era um dos motivos de inúmeras embarcações seguirem para o Oriente, mais especificamente para o Ceilão, nos séculos XIV e XVI. A canela, juntamente com outras especiarias, como o cravo, a pimenta-do-reino e a noz-moscada, era utilizada como moeda de troca para pagar serviços, impostos, dívidas, acordos, obrigações religiosas e servia até mesmo como dotes, heranças, reservas de capital e divisas de um reino.

Ainda hoje a sua maior aplicação é como condimento e aromatizante na culinária popular. Por exemplo, quem não gosta de um pouco de canela para dar um toque especial no arroz-doce?

Arroz-doce com canela

No entanto, a canela possui também outras aplicações, sendo utilizada até mesmo na medicina. O seu componente ativo é o aldeído cinâmico ou cinamaldeído, cuja fórmula é mostrada a seguir:

Aldeído cinâmico ou cinamaldeído – componente ativo da canela

Essa é a substância responsável pelo odor carac­terístico da canela. O aldeído cinâmico foi sintetizado pela primeira vez em 1884.

A canela tem pro­priedades analgésicas e digestivas, tem poderes carminativos, isto é, libera gases em todo o sistema digestório, que são liberados na forma de arrotos ou por flatulência. Ela também combate a fraqueza e o desânimo.

Assuntos Relacionados