Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Química
  3. Química Inorgânica
  4. Pólvora Clássica

Pólvora Clássica

A pólvora foi descoberta na China no Século IX e depois ganhou repercussão pelo mundo. A descoberta foi feita por alquimistas e foi acidental, a prova disso foi as primeiras referências à pólvora, elas aparecem como avisos em textos de alquimia: Não misturem certos materiais uns com os outros. Ao pesquisar um elixir da imortalidade, os alquimistas produziram vários incêndios ao fazer testes com os ingredientes enxofre e salitre (nitrato de potássio), daí o porquê do aviso.

Por volta do século X, a pólvora começou a ser usada na China, seu uso com propósitos militares era na forma de foguetes e bombas explosivas lançadas de catapultas. O canhão surgiu em seguida, a pólvora era usada para a propulsão das pesadas bolas de canhão. Depois da China, o uso militar da pólvora se espalhou para o Japão e a Europa.

A pólvora clássica (explosiva) é constituída por 75% de Salitre, 15% de carvão e 10% de enxofre. O principal componente - o salitre ou Nitrato de Sódio, cuja composição química é NaNO3, possui alto poder de combustão e explosão. A pólvora pode ser classificada de duas formas:

- Propelente: é a pólvora usada nas munições, se queima mais lentamente e constante.

- Explosiva: é usada basicamente para fogos de artifício (pólvora negra). Possui queima média a alta velocidade, é por isso que gera grande volume de gás e explode se estiver confinada.

A pólvora era usada como munição em canhões
A pólvora era usada como munição em canhões
Publicado por: Líria Alves de Souza

Assuntos Relacionados