Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Química
  3. Química presente em alimentos
  4. Toxinas em alimentos de origem vegetal

Toxinas em alimentos de origem vegetal

Um grande problema que enfrentamos hoje é com relação aos produtos alimentícios que ingerimos. A idéia é de que se um alimento é natural ele é 100 % seguro, mas sabe-se que não é bem assim, existem as chamadas toxinas vegetais que são prejudiciais à saúde.

Uma toxina muita conhecida é a encontrada em batatas, denominada de solanina. É um esteróide, glicoalcalóide, que ocorre não apenas em batatas, mas também na berinjela, e na planta venenosa beladona. Os níveis de solanina se elevam em batatas expostas à luz (esverdeadas), e se concentra abaixo da casca.

A solanina é considerada perigosa por ser inibidora da enzima acetilcolinesterase, que é um componente-chave do sistema nervoso. A sua presença em batatas é fácil de ser percebida, como já foi dito a batata com altos índices de solanina se torna verde, e possui um pronunciado sabor amargo, se tornando inaceitável como alimento. Além disso, não é válido cozinhar o alimento com o intuito de retirar a toxina, já que essa é insolúvel em água e estável ao calor.

Um alimento de origem africana muito consumido no Brasil é a cassava (mandioca), ela contém cianeto de hidrogênio (HCN). Na África Ocidental, a mandioca é uma das fontes principais de alimentação, lá o preparo é diferenciado: eles respeitam o período prévio de fermentação onde o gás HCN é liberado. Mas mesmo assim ocorrem casos de intoxicação, os sintomas são cegueira e condição neurológica degenerativa.

A cassava é consumida no mundo todo, e em regiões onde o seu consumo é mais difundido como na Nigéria, foi identificado altos níveis de tiocianato no sangue da população. Lá a mandioca é consumida seca e não-fermentada, e seu consumo está associado ao bócio (comum no leste da Nigéria), pois o tiocianato interfere no metabolismo do iodo. O bócio é uma doença derivada da falta de ingestão de iodo.
Planta tóxica beladona.
Planta tóxica beladona.
Publicado por: Líria Alves de Souza

Assuntos Relacionados