A redação nota 10!

Escrever nem sempre é tarefa fácil, mas existem técnicas e dicas de redação que poderão deixá-lo(a) mais perto de uma nota 10.

Evitar a voz passiva e o rebuscamento linguístico são dicas para uma redação nota 10
Evitar a voz passiva e o rebuscamento linguístico são dicas para uma redação nota 10

Afinal, o que é preciso saber para escrever bem? A resposta para essa pergunta é simples: é preciso conhecer e dominar a língua portuguesa, assim como saber dispor dos recursos oferecidos pela linguística textual, ciência da língua que estuda os elementos que compõem o texto. Para isso, é indispensável que você estude bastante e se dedique, além, é claro, que você seja também um bom leitor, afinal de contas, a leitura é capaz de ampliar horizontes e diversificar nosso repertório cultural.

Você já deve ter percebido que escrever não é tarefa das mais fáceis, mas também não precisa estar entre as coisas mais difíceis da vida. Claro que algumas pessoas possuem maior facilidade para expressar-se na modalidade escrita, enquanto outras veem essa atividade como um verdadeiro pesadelo. Se você estiver no segundo grupo, fique tranquilo: existem técnicas de redação capazes de ajudá-lo(a) a passar pelo caminho das pedras e transformar-se em um autor competente. Pensando nisso, o Mundo Educação preparou dicas de produção textual que vão auxiliar sua rotina de estudos e que poderão ser consultadas sempre que houver dúvida. Aproveite-as e tenha bons estudos!

Dicas de redação: A redação nota 10!

♦ Dica 1: Fique atento ao tema da redação

Nossa primeira dica pode até parecer meio óbvia, mas não é. Muitas pessoas não dão a devida atenção ao tema proposto e acabam cometendo um erro imperdoável: fogem da proposta solicitada e, por isso, têm suas redações zeradas em concursos e vestibulares. Para não fugir do tema, fique atento à coletânea apresentada, pois geralmente são oferecidos textos motivadores que podem auxiliar bastante no momento da escrita, principalmente se o assunto abordado não for tão familiar para você. Leia, releia e faça esse exercício quantas vezes for preciso. Lembre-se de que a pressa, como já dizia o ditado, é inimiga da perfeição.

♦ Dica 2: Planeje seu texto

Dedique alguns minutos para o planejamento de seu texto. Nesse momento, você deverá fazer um esboço daquilo que será abordado, o que facilitará bastante o processo de escrita. Para isso, você pode tomar como exemplo o esquema abaixo. Observe:

1) Tema: assunto geral do texto.

2) Delimitação do tema: aspecto do tema que vai ser tratado.

3) Objetivo: o que você pretende com o seu texto?

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

4) Ideias do desenvolvimento: argumentos, exemplos, comparações, confrontos e todos os recursos que auxiliarem na sustentação do ponto de vista que será apresentado para o leitor.

♦ Dica 3: Hora de organizar as ideias, hora de escrever!

Planejamento feito, mãos à obra! Os minutos que você dedicou para esquematizar seu texto serão recompensados, haja vista que você já terá os caminhos de sua produção textual praticamente definidos. “Praticamente” porque pode ser que, ao longo do texto, outras ideias surjam, alterando, assim, as ideias iniciais. Surpresas são bem-vindas, pois o planejamento deve ser visto como um aliado e jamais como o responsável pelo engessamento da redação. Para iniciar sua composição, seja ela do gênero ou tipo que for, você deve surpreender o leitor logo na primeira oportunidade. Isso significa que você precisa ter o cuidado de escolher uma frase impactante para iniciá-la para que o leitor fique interessado em suas ideias e argumentos. Você pode fazer uma citação (desde que não seja extensa), pode parafrasear um poema, uma letra de música ou até mesmo estabelecer uma relação de intertextualidade com um texto-fonte. Além disso, você também pode fazer uma pergunta para o leitor (e claro, respondê-la assim que for possível) e concluir o parágrafo sempre que outra ideia se anunciar, afinal de contas, o parágrafo deve ser composto por apenas um tópico frasal.

♦ Dica 4: Evite excessos, seja natural.

Ser “natural” significa fazer escolhas linguísticas que prezem pela inteligibilidade de seu texto, caso contrário, o entendimento da mensagem ficará comprometido. Você deve apresentar um vocabulário preciso e evitar palavras e expressões cujos significados você não conheça. Parece estranho, mas a verdade é que muitas pessoas, na tentativa de impressionar o leitor (e, em especial, o corretor), utilizam o ultrapassado e desnecessário recurso do rebuscamento linguístico para mascarar a falta de conteúdo do texto ou ainda para tentar exibir seu amplo vocabulário, esquecendo-se de que a comunicação deve acontecer de maneira fluida, livre de obstáculos que prejudiquem a comunicação. Para um discurso mais, digamos assim, “natural”, você pode fazer pausas, empregar a voz ativa (o que deixará a construção frasal mais objetiva e concisa), fazer perguntas diretas e utilizar modalizadores do discurso, elemento que permitem uma maior interação entre o autor e o leitor.

Assista às nossas videoaulas

Assuntos Relacionados