Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Redação
  3. Gêneros textuais
  4. Dissertação e o texto dissertativo-argumentativo

Dissertação e o texto dissertativo-argumentativo

A dissertação e o texto dissertativo-argumentativo são textos que têm a finalidade de promover uma reflexão a respeito de um assunto, sendo o segundo com vistas à persuasão.

A Dissertação diferencia-se do texto dissertativo-argumentativo porque o segundo, além de refletir a respeito de um assunto, tem vistas à persuasão
A Dissertação diferencia-se do texto dissertativo-argumentativo porque o segundo, além de refletir a respeito de um assunto, tem vistas à persuasão

Existem algumas diferenças entre a dissertação e o texto dissertativo-argumentativo. É importante estarmos atentos ao que diferencia um tipo ou gênero textual de outros, pois essas diferenças são determinantes para que os textos cumpram com seus objetivos ao circularem na sociedade. Isso porque há textos que circulam nos mesmos suportes, como um jornal, mas que estão ali para cumprir distintos objetivos: informar, convencer, vender, parabenizar, entreter etc.

Há textos que cumprem outros objetivos além da dissertação/argumentação, como os tipos Narrativo, Descritivo, Expositivo e Injuntivo, os quais representam a base estrutural dos gêneros discursivos como contos, fábulas, cartas, artigos, charges, atas, relatórios, receitas etc.

Vejamos, então, o que diferencia a dissertação do texto dissertativo-argumentativo.

Dissertação

Podemos dizer que a dissertação é um tipo de texto. Ela é a base estrutural de vários gêneros discursivos que têm, entre outras finalidades, refletir e informar alguém a respeito de um assunto.

A dissertação é redigida em prosa, ou seja, estruturada por períodos e parágrafos (diferentemente de um poema ou de uma música, por exemplo, os quais são estruturados em versos e estrofes). A estrutura da dissertação deve apresentar, no mínimo, três parágrafos: introdução, desenvolvimento e conclusão.

O objetivo da dissertação é informar o leitor a respeito de um assunto, expor dados, pesquisas e a opinião de profissionais que possam esclarecer os leitores sobre o tema na sociedade. O autor da dissertação tem condições de analisar o eixo temático, expondo pontos positivos e negativos a respeito do assunto para que, assim, o leitor informe-se e posicione-se individualmente. Isso significa que não há opinião pessoal do autor na Dissertação, mas, sim, elementos que possam contribuir para que o leitor reflita criticamente e formule seus pontos de vista.

Leia o excerto de uma dissertação:

Efeito estufa

(Eduardo de Freitas)

O efeito estufa tem como finalidade impedir que a Terra esfrie demais, pois se a Terra tivesse a temperatura muito baixa, certamente não teríamos tantas variedades de vida. Contudo, recentemente, estudos realizados por pesquisadores e cientistas, principalmente no século XX, têm indicado que as ações antrópicas (ações do homem) têm agravado esse processo por meio de emissão de gases na atmosfera, especialmente o CO2.

O dióxido de carbono (CO2) é produzido a partir da queima de combustíveis fósseis usados em veículos automotores movidos a gasolina e óleo diesel. Esse não é o único agente que contribui para emissão de gases, existem outros como as queimadas em florestas, pastagens e lavouras após a colheita.

Com o intenso crescimento da emissão de gases e também de poeira, a temperatura do ar tem um aumento de aproximadamente 2ºC em médio prazo. Caso não haja um retrocesso na emissão de gases, esse fenômeno ocasionará uma infinidade de modificações no espaço natural e, automaticamente, na vida do homem.

Vejamos, em seguida, as características do texto dissertativo-argumentativo:

Texto dissertativo-argumentativo

O texto dissertativo-argumentativo possui todas as características da dissertação no que se refere à base estrutural e alguns objetivos. Entretanto, no texto dissertativo-argumentativo, o autor deve selecionar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de uma tese central em torno do tema.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A tese é a opinião geral do autor a respeito do tema. Geralmente, ela é construída a partir de relações de causas e consequências que envolvem o tema. Ao longo do texto, o autor expõe as informações e seus pontos de vista (negativos ou positivos) com o objetivo de sustentar a sua tese inicial e persuadir o leitor.

Tanto a tese quanto os pontos de vista do autor a respeito das informações inseridas no texto devem ser claros e objetivos. Para que o autor tenha condições de convencer o leitor a acatar o seu ponto de vista, ele deve selecionar, organizar e relacionar argumentos consistentes, ou seja, aqueles que podem ser comprovados a partir de informações verídicas: pesquisas, reportagens e mobilização de outras vozes de autoridade no texto para concordar ou refutar suas ideias, como pesquisadores, filósofos, estudiosos, sociólogos, profissionais da área etc.

Leia um texto dissertativo-argumentativo:

Desordem e progresso

É condenável a atitude que grande parte da sociedade desempenha no que diz respeito à preservação do meio ambiente. Apesar dos inúmeros desastres ecológicos que ocorrem com demasiada frequência, a população continua “cega” e o pior é que essa cegueira é por opção.

Não sou especialista no assunto, mas não é preciso que o seja para perceber que o Planeta não anda bem. Tsunamis, terremotos, derretimento de geleiras, entre outros fenômenos, assustam a população terrestre, principalmente nos países desenvolvidos – maiores poluidores do Planeta – seria isso mera coincidência? Ou talvez a mais clara resposta da natureza contra o descaso com o futuro da Terra? Acredito na segunda opção.

Enquanto o homem imbuído de ganância se empenha numa busca frenética pelo progresso, o tempo passa e a situação adquire proporções alarmantes. Onde está o tal desenvolvimento sustentável que é – ou era – primordial? Sabemos que o progresso é inevitável e indispensável para que uma sociedade se desenvolva e atinja o estágio clímax de suas potencialidades, mas vale a pena conquistar esse progresso às custas da destruição da fauna, da flora, da qualidade de vida que a natureza nos proporciona? Não podemos continuar cegos diante dessa realidade. Somos seres racionais em pleno exercício de nossas faculdades, não temos o direito de nos destruirmos em troca de cédulas com valores monetários que ironicamente estampam espécies animais em seus versos. Progresso e natureza podem, sim, coexistir, mas, para isso, é preciso que nós – população terrestre – nos conscientizemos de nossa responsabilidade sobre o lugar que habitamos e ponhamos em prática o que na teoria parece funcionar.

Agora que você já conhece as diferenças entre a dissertação e o texto dissertativo-argumentativo, que tal ler mais exemplos para, em seguida, iniciar sua produção escrita? Bons estudos!

Assista às nossas videoaulas

Assuntos Relacionados