Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Saúde e Bem-estar
  3. Desidratação

Desidratação

A desidratação é causada pela falta de água e alguns sais no organismo, o que pode causar prejuízos à saúde do homem.

Desidratação
Beber água é fundamental para evitar a desidratação

O organismo é incapaz de armazenar água, eliminando-a de diversas formas, como por meio do suor, das fezes e da urina. Por essa razão, devemos constantemente ingerir essa substância para que o organismo funcione de maneira adequada. Algumas vezes, no entanto, a perda de água pelo organismo é maior que a ingestão, o que causa um estado conhecido como desidratação. Esse estado, que pode provocar a morte do acometido, pode ser classificado em isotônico, hipotônico e hipertônico.

A desidratação isotônica é a forma mais comum e caracteriza-se por uma perda proporcional de água e sódio. Ela ocorre normalmente em razão de quadros de vômitos e diarreia.

Na desidratação hipotônica, ocorre uma perda maior de sódio do que de água e as causas podem ser perdas gastrointestinais ou renais, má nutrição, uso de diuréticos sem reposição adequada de sais e reposição de líquidos com soluções hipotônicas.

Na desidratação hipertônica, por sua vez, a proporção de água perdida é maior do que a de sódio. As causas podem ser febres prolongadas, sudorese intensa, baixa administração de água, hiperglicemia, dietas sem reposição correta de líquidos, diarreias intensas, entre outras.

Qualquer forma de desidratação é séria e pode levar à morte se não tratada corretamente. Sendo assim, é fundamental estar atento aos sintomas. Inicialmente, a desidratação provoca dores de cabeça, cansaço, olho fundo, boca e axilas secas, diminuição das funções cognitivas e urina concentrada e em pouca quantidade. Dependendo da gravidade dos sintomas, a desidratação pode ser classificada em leve, moderada ou grave.

Para identificar um quadro de desidratação, os médicos analisam principalmente o quadro clínico do paciente. Entretanto, exames de sangue e urina podem ajudar na confirmação do diagnóstico. O tratamento baseia-se no tipo de desidratação apresentado e na saúde do paciente, tendo como objetivo reverter o quadro de deficit hídrico. Em grande parte dos casos, a reposição de água e sais é feita por via oral ou endovenosa, sendo a primeira opção a mais utilizada. No caso de crianças até os seis meses de idade, apenas leite é administrado no tratamento.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Para prevenir a desidratação, as pessoas devem ficar atentas a algumas atitudes simples:

Beber pelo menos dois litros de água diariamente, aumentando a quantidade caso realize atividades físicas ou esteja enfrentando um grande calor (Leia também: Qual é a quantidade de água que deve ser ingerida diariamente?);

Tratar casos de febres, diarreias ou vômitos;

Não praticar exercícios físicos em momentos em que a temperatura do ambiente está elevada;

Usar roupas leves durante os dias quentes;

Cuidar bem da alimentação, tendo cuidado com o preparo e com o local onde os alimentos são comprados;

Lavar sempre as mãos e manter hábitos adequados de higiene.

Atenção: Atualmente, recomenda-se que o soro caseiro só seja usado em casos extremamente urgentes, uma vez que a maioria das pessoas acaba errando a dosagem adequada. O ideal é procurar postos de saúde e farmácias populares para que seja adquirido soro de reposição oral. Sua preparação é fácil, bastando apenas dissolver o pó na água.

Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto

Assuntos Relacionados