Você está aqui Mundo Educação Saúde e Bem-estar Diferença entre medo e fobia

Diferença entre medo e fobia

Entender a diferença entre medo e fobia ajuda-nos a compreender por que algumas pessoas sentem-se incapacitadas diante de algumas situações.

Diferença entre medo e fobia
O medo é uma emoção comum aos seres humanos e a outros animais.

Medo e fobia designam situações distintas e são termos que não devem ser tratados como sinônimos. Medo deve ser considerado uma emoção normal e comum a seres humanos e outros animais; as fobias, por sua vez, são um tipo de transtorno.

Saiba mais: Fobia


Medo

O medo, como dito, é uma emoção comum e contribui para a nossa sobrevivência. Sem o medo, provavelmente, muitas espécies teriam entrado em extinção por se expor a situações de risco constantemente. Sendo assim, o medo é bom, pois evita que fiquemos expostos ao que pode causar-nos dano.

É muito comum sentir medo, mas esse sentimento, geralmente, é transitório. O medo de uma prova, por exemplo, passa logo que a recebemos ou a terminamos. Entretanto, há pessoas que possuem medos constantes e desproporcionais à real situação, configurando aquilo que é entendido como fobia.


Fobia

As fobias podem ser definidas como um medo exagerado, desproporcional e irracional a respeito de uma determinada situação ou objeto. Esse medo é desproporcional ao real perigo da situação que o indivíduo vive. Nesses casos, é comum o indivíduo apresentar batimento cardíaco acelerado, tremor, queda de pressão e outros sintomas desagradáveis ao vivenciar dada situação e até mesmo pensar naquilo que teme.

Leia também: Síndrome do pânico

Pessoas que apresentam fobia, muitas vezes, sabem que seu medo é desproporcional, entretanto, não conseguem lidar com tal situação. Diante disso, pessoas com fobias tentam ao máximo não se expor a situações que lhes causem medo.

Podemos classificar as fobias em: fobias específicas, fobias sociais e agorafobia.

  • Fobias específicas: possuem um estímulo bem definido, conhecido como estímulo fóbico. De acordo com esse estímulo, existe fobia de: animais (ex.: medo exagerado de cachorros), ambientes naturais (ex.: medo exagerado de chuvas), fobia de sangue-injeção-ferimentos (ex.: medo exagerado de agulhas), situacional (ex.: medo exagerado de viajar de avião) e outros (ex.: medo exagerado de pessoas com fantasias).

    Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Muitas pessoas apresentam fobia social e, por isso, temem julgamentos por parte de outras pessoas.
Muitas pessoas apresentam fobia social e, por isso, temem julgamentos por parte de outras pessoas.

  • Fobia social: é também conhecida como transtorno de ansiedade social. Nesse caso, o indivíduo apresenta um medo acentuado em relação a situações sociais em que ele pode ser avaliado de forma negativa por outras pessoas. Apresentar um uma palestra, por exemplo, pode causar medo desproporcional e ansiedade.

  • Agorafobia: nesse tipo de fobia, o indivíduo apresenta, de acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, um medo desproporcional em relação a duas ou mais das situações a seguir: uso de transporte público; permanecer em espaços abertos; permanecer em locais fechados; permanecer em uma fila ou ficar em meio a uma multidão; sair de casa sozinho. Nesses casos, o indivíduo teme que alguma situação desagradável aconteça e ele não seja capaz de escapar ou obter auxílio.

Leia mais sobre: Agorafobia

É possível perceber, portanto, que medos e fobias são semelhantes, entretanto, quando falamos em fobia, o sentimento de medo é exagerado, o que prejudica o dia a dia do indivíduo. Os medos, no entanto, tendem a passar e não limitam a vida de uma pessoa.

Assuntos Relacionados