Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Saúde e Bem-estar
  3. Ginkgo biloba

Ginkgo biloba

O Ginkgo biloba é uma gimnosperma que apresenta diversos compostos que trazem benefícios à saúde de homem.

Ginkgo biloba
O Ginkgo biloba se caracteriza por apresentar folhas em formato de leque.

O Ginkgo biloba é uma espécie de gimnosperma conhecida mundialmente por possíveis benefícios relacionados à memória. Essa planta arbórea é nativa da Coreia, China e Japão, e surpreende por sua capacidade de viver cerca de 4 mil anos, sendo considerada por muitos um “fóssil vivo”.

O Ginkgo biloba chega a atingir 40 metros de altura, é bastante ramificado e apresenta folhas bastante características com formato em leque (observe a foto). Suas folhas normalmente são verdes e vão se tornando amareladas a medida que se aproxima o inverno.

Como dito anteriormente, a planta é conhecida pelo seu aspecto medicinal, sendo usada principalmente para melhorar a atenção e memória e no tratamento de zumbidos e vertigens. O Ginkgo também é usado no tratamento de dores de cabeça e problemas cardiopulmonares. Apesar de ter o uso bastante difundido, alguns de seus benefícios não apresentam comprovação científica.

O Ginkgo biloba normalmente é utilizando extraindo-se um extrato de suas folhas. Na folha são encontrados diferentes princípios ativos, tais como flavonoides, sesquiterpenos, diterpenos e ginkgolideos, que estão relacionados com sua propriedade medicinal. Entre suas ações farmacológicas comprovadas destacam-se o aumento de suprimento de sangue no cérebro, a redução da viscosidade do sangue, inibição da agregação plaquetária e a proteção contra danos oxidativos. Além dessas funções, as substâncias presentes na planta ajudam na redução dos níveis de colesterol, melhora a absorção da glicose, além do efeito neuroprotetor.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A respeito de sua eficácia no que diz respeito à melhora nas funções cognitivas, existem diversos trabalhos discordantes. Alguns estudos indicam que ocorreu melhora após alguns testes na memoria de pacientes que faziam uso do produto e outros indicam que não há um efeito significativo. Alguns trabalhos indicam ainda que a ingestão de Ginkgo melhora a curto prazo as funções cognitivas e que o uso a longo prazo pode prejudicar essas funções. Sendo assim, fica claro que estudos rigorosos ainda devem ser feitos nesse quesito.

O uso do ginkgo nas dores diárias normalmente recomendadas aparentemente não causam dados à saúde humana. Entretanto, assim como qualquer outro produto, pode desencadear vômitos e, em casos mais raros, manchas na pele, queda de pressão, tonturas e dores de cabeça.

Percebemos, portanto, que o Ginkgo biloba é uma planta com diversos benefícios à saúde. Entretanto, é fundamental que trabalhos continuem sendo feitos para comprovar sua eficácia em alguns pontos e compreender melhor os efeitos do uso contínuo desse produto no corpo.

Assuntos Relacionados