Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Saúde e Bem-estar
  3. Rejeição de órgãos

Rejeição de órgãos

A rejeição de órgãos ocorre pela ação de anticorpos produzidos pelo sistema imunológico do próprio paciente receptor.

Rejeição de órgãos
A rejeição de órgãos ocorre principalmente quando há baixa compatibilidade

Diversos problemas de saúde podem culminar na total incapacidade de funcionamento de alguns órgãos. Nesses casos, faz-se necessária, muitas vezes, a realização de transplantes para substituir o órgão ineficiente.

O primeiro problema enfrentado por pessoas que precisam de um transplante é a dificuldade para encontrar um doador compatível. Após conseguir um órgão, outro problema surge: a possibilidade de rejeição.

A rejeição ocorre quando o sistema imunológico do receptor não reconhece o novo órgão ou tecido e inicia a produção de anticorpos. Esse processo pode ocorrer em qualquer transplante, variando apenas em intensidade. Em casos graves, os anticorpos podem iniciar um grande ataque contra o material transplantado, causando sua destruição e até mesmo a morte do paciente receptor (ocorrência mais rara).

A rejeição está intimamente relacionada com o grau de compatibilidade entre o receptor e o doador. Quanto maior a compatibilidade, menores são as chances de rejeição e mais fácil será o tratamento caso o processo ocorra. Vale frisar que, na maioria dos casos de rejeição, o tratamento é realizado com sucesso e o quadro é revertido.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O tratamento para controlar a rejeição é realizado com medicamentos imunossupressores, que visam à diminuição da ação do sistema imunológico, controlando a quantidade de anticorpos. A imunossupressão pode ser feita de maneira inespecífica, diminuindo a atividade do sistema imune independentemente do antígeno, ou específica, que agirá nos mecanismos de retroalimentação, promovendo reações imunológicas específicas. A imunossupressão inespecífica possui maior risco de infecções.

Para evitar a rejeição, o tratamento após o transplante de tecidos e órgãos costuma ser contínuo, ou seja, os medicamentos devem ser tomados por toda a vida. É importante frisar que, mesmo com medicamentos, a rejeição pode ocorrer, sendo necessário, nesses casos, o aumento das doses ou então a troca dos medicamentos.

Assuntos Relacionados